Cidades do Vale despencam no isolamento com índice abaixo de 50%

Taxa é um dos indicadores que governo estadual levará em conta para anunciar quarentena em junho; queda põe em risco flexibilização no Vale

@Da redação | @jornalovale

As principais cidades do Vale do Paraíba despencaram na taxa de isolamento nesta sexta-feira (22), conforme dados do Simi (Sistema de Monitoramento Inteligente),do governo estadual.

O índice ficou abaixo de 50% em sete das 11 cidades da região monitoradas diariamente pelo sistema, que analisa os dados de telefonia móvel para indicar tendências de deslocamento e apontar a eficácia das medidas de isolamento social.

O Estado cobra taxa mínima de 55% de isolamento para conter a expansão da Covid-19, que cresce no interior quatro vezes mais rápido do que na Grande São Paulo, epicentro da doença no país.

Pelo quinto dia seguindo, Guaratinguetá registrou a menor taxa de isolamento da região, com 45% nesta sexta, o mesmo índice desde segunda. A exceção foi na quinta-feira, com 46%.

A queda de Guaratinguetá, que vinha registrando taxas acima de 50%, coincide com o anúncio do prefeito Marcus Soliva (PSB) de determinar a aplicação da hidroxocloroquina em pacientes no estágio inicial da Covid-19, na sexta-feira passada.

Taubaté vem em seguida com 46% de isolamento, depois Jacareí (47%), São José dos Campos (48%), Pindamonhangaba (48%), Caçapava (49%) e Lorena (49%).

Caraguatatuba (51%) e Cruzeiro (51%) também não atingiram o mínimo indicado pelo governo estadual.

“Será que vamos precisar ver pessoas mortas nas ruas para entender que o isolamento é a única alternativa que existe? Pense nisso você que é contra e não acredita no isolamento”, disse o governador João Doria (PSDB) em entrevista coletiva nesta semana, no Palácio dos Bandeirantes.

As únicas cidades da região que ultrapassaram a taxa mínima foram Ubatuba (57%) e São Sebastião (62%), que estão entre as maiores do estado na lista com 104 cidades paulistas com mais de 70 mil habitantes, monitoradas diariamente.

“Quanto maior o isolamento social, maior a chance de superarmos a fase mais dura da doença. Não obedecer [ao isolamento] prejudica o conjunto de decisões do governo para a reativação econômica no estado”, disse Doria.

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 23 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.