São José cancela compras de máscaras e álcool gel

Contratos firmados com dispensa de licitação entre março e abril, que somavam R$ 1,6 milhões, foram cancelados por fatores como falhas nas amostras e desrespeito ao prazo

Julio [email protected] | @jornalovale

Após falhas, a Prefeitura de São José dos Campos cancelou cinco compras que haviam sido feitas com dispensa de licitação para ações de enfrentamento à pandemia do novo coronavírus.

As informações foram publicadas pelo governo Felicio Ramuth (PSDB) em um espaço criado no site da prefeitura para divulgar as despesas do combate à Covid-19.

As cinco compras, feitas entre os dias 12 de março e 8 de abril, somavam R$ 1,6 milhão.

A primeira aquisição, no dia 12 de março, foi feita da empresa Inova Comercial Hospitalar, com sede em Ribeirão Preto. O contrato previa a compra de R$ 17.445,40 em garrafas de álcool em gel para abastecer o almoxarifado da Secretaria de Saúde. Segundo a gestão tucana, a operação acabou cancelada porque "as amostras apresentadas pela empresa fornecedora foram reprovadas, não atendiam a especificação técnica".

A segunda compra, no valor de R$ 500 mil, foi feita em 27 de março com a empresa Elevoni Comércio e Assessoria Hospitalar, de Jacareí. O contrato previa a aquisição de máscaras para atender hospitais e unidades de emergência. Os produtos, no entanto, não foram entregues dentro do prazo. "A empresa não cumpriu com a obrigação no prazo estabelecido. Face ao descumprimento contratual foi dado abertura a processo visando aplicação de penalidade e cancelamento da AF [Autorização de Fornecimento]", explicou o governo Felicio.

Outras duas compras canceladas foram feitas no mesmo dia, em 6 de abril, de uma mesma empresa. Os contratos, que somavam R$ 784 mil, previam a aquisição de máscaras de proteção da empresa Tiago Andrade de Oliveira Instrumentos Musicais, de São Luiz do Paraitinga, para abastecer o almoxarifado da Secretaria de Saúde e atender as unidades de atenção básica. Segundo a prefeitura, o prazo de entrega foi descumprido.

Pelo mesmo motivo, foi cancelada a compra de R$ 298 mil feita da XCMG Brasil Indústria, de Pouso Alegre (MG), no dia 8 de abril, que previa máscaras para atender hospitais e unidades de urgência.

Segundo a prefeitura, os valores não chegaram a ser pagos. Nenhum responsável das empresas Elevoni e XCMG foi localizado. A Tiago Andrade de Oliveira Instrumentos Musicais e a Inova não quiseram se manifestar..

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 23 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.