Doença respiratória mata 1.600 na RMVale, diz Seade

Pesquisa da Fundação Seade mostra a gravidade do quadro de doenças respiratórias que representam 11% das mortes na região; população acima de 60 anos é maior vítima

Xandu Alves @xandualves10 |

Estudo da Fundação Seade aponta que doenças do aparelho respiratório respondem por 11% dos 15,7 mil óbitos registrados no Vale do Paraíba em 2017 -- esse é o dado mais recente sobre o tema.

Com 1,66 mil mortes naquele ano, essas enfermidades representam o terceiro principal grupo de causas de morte, ficando atrás somente das doenças do aparelho circulatório e das neoplasias.

O percentual é um pouco menor do registrado em todo o estado de São Paulo, com 13,5% em decorrência de problemas respiratórios entre os 294 mil óbitos gerais.

"Os óbitos por doenças do aparelho respiratório apresentam tendência nítida de aumento", informou o Seade.

No estado, segundo o levantamento, o número esperado de óbitos para 2020 seria de 40,5 mil, sem a interferência da atual pandemia do novo coronavírus, que também ataca o aparelho respiratório.

A população acima dos 60 anos é a mais atingida, respondendo por 85% das mortes por esse grupo de causas.

Em 2017, ainda de acordo com o Seade, o número médio diário de mortes por doenças respiratórias cresceu 53% entre janeiro e julho, com maior variação na população acima de 60 anos.

O risco de morte por influenza (gripe) e pneumonia é o mais elevado entre as doenças do aparelho respiratório e apresenta aumento expressivo desde 2006. "Esse risco se intensifica entre as pessoas com 60 anos e mais. Em 2017, a taxa de mortalidade por influenza (gripe) e pneumonia, entre idosos, foi 27 vezes maior do que na população de 15 a 59 anos e 79 vezes superior à de menores de 15 anos", apontou a pesquisa do Seade.

VACINAÇÃO.

Para evitar que o quadro de saúde pública se agravasse neste ano, a Secretária de Estado da Saúde reforçou a campanha de vacinação contra a Influenza, provocando filas nos postos de saúde e atraso na distribuição das vacinas.

Segundo o secretário José Henrique Germann, a imunização tem o objetivo de diminuir a quantidade de pessoas procurando o serviço de saúde em meio à epidemia do coronavírus. "Não podemos sobrecarregar o sistema de saúde".

São José tem 325 mortes por doenças do aparelho respiratório; Taubaté tem 286

São José dos Campos registrou 325 mortes em decorrências de doenças do aparelho respiratório em 2017, segundo a Fundação Seade. O número representou queda em relação às mortes nos dois anos anteriores, de 365 e 368. A cidade ficou com uma taxa de mortalidade por doenças do aparelho respiratório da população com mais de 60 anos de 363,1 mortes por cada grupo de 100 mil. Taubaté teve 286 mortes em 2017, aumento em relação aos anos anteriores --266 e 246. A mortalidade na cidade foi de 685,5 para cada grupo de 100 mil.

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 13 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.