Profissionais apostam em auxílio online e gratuito

De olho nessa nova rotina por conta da pandemia de coronavírus, muitos especialistas, inclusive da saúde, tentam se aproximar de clientes e pacientes sem um contato físico

Marcos Eduardo Carvalho @marcosovale78 | @jornalovale

Uma vídeo chamada que substitui um abraço, uma conversa de WhatsApp que substitui um bate-papo ou um almoço em família ou uma ligação telefônica que substitui uma conversa pessoal. Essa tem sido a realidade da maioria das pessoas durante esses tempos de isolamento social por conta da pandemia do novo coronavírus.

De olho nessa nova rotina, muitos profissionais, inclusive da saúde, tentam se aproximar de clientes e pacientes sem um contato físico.

Em São José dos Campos, por exemplo, já existem os grupos de apoio online, que trabalham de forma gratuita e voluntária, para quem quer trocar experiências ou apenas conversar nesses dias de quarentena.

Especializada em bioalinhamento e microfisioterapia, a fisioterapeuta Thaís Oliveira é uma das que busca se reinventar neste período. E criou um desses grupos para dar dicas de qualidade de vida, práticas terapêuticas, yoga e até mesmo meditação. "A conexão pode ser útil para adquirir conhecimento e mantermos contato com as pessoas, mas temos que aproveitar todos os benefícios tecnológicos com responsabilidade", disse Thaís.

Já acostumada com o atendimento online, a psicóloga André Leão também abriu um grupo online para, uma vez por semana, ouvir e aconselhar quem está com dificuldades de passar por este momento. "O meio online também é uma forma de fazer voluntariado", disse a psicóloga.

Para participar dos grupos, é necessário entrar em contato pelas redes sociais: https://www.instagram.com/thais.microfisioterapia/ e https://www.instagram.com/andrealeaopsicologa/.

TELEMEDICINA.

Em São José, os médicos já começaram a adotar a prática da telemedicina, aprovada este ano pelo CFM (Conselho Federal de Mecidina). A consultora jurídica e especialista em saúde pública, Sandra Franco, ressalta que a condição de saúde dos pacientes exige cuidado e atenção. "Em virtude dos acontecimentos atuais, ocasionados pelo Covid-19, os atendimentos presenciais precisam ser reduzidos, objetivando a segurança de todos. Justamente para manter o compromisso ético, os trabalhos sob forma de atendimento à distância surgem para auxiliar no monitoramento dos casos que exigem vigilância"..

 

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 13 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.