RMVale tem o mais baixo índice de mortalidade infantil da sua história

Em 10 anos, a taxa de mortalidade infantil caiu 28% no Vale do Paraíba, que se tornou a segunda região entre as 16 do estado com a maior redução do indicador, considerado um dos mais importantes na área de saúde pública

Xandu [email protected] | @xandualves10

Com 9,63 mortes de crianças menores de um ano por mil nascidas vivas, a Região Metropolitana do Vale do Paraíba atingiu, em 2018, a menor taxa de mortalidade infantil da história, segundo dados da Fundação Seade.

Em 10 anos, a taxa caiu 28% na região: 13,35 em 2008 para 9,63 em 2018, colocando o Vale na segunda posição entre as 16 regiões do estado que mais derrubaram a mortalidade infantil.

O Vale perde apenas para São José do Rio Preto, que reduziu a taxa em 29%.

A região também está abaixo da taxa de mortalidade infantil do estado, de 10,7 mortes para cada mil nascidos vivos em 2018. A redução do índice estadual em 10 anos foi de 15%.

A série histórica da Fundação Seade começa em 1980, quando a taxa de mortalidade infantil do Vale era 45,52 por mil nascidos vivos, a mais alta da história. Comparada à de 2018, a queda foi de 79%.

O recorde da região havia sido batido em 2016, com uma taxa de 10,23.

No ano seguinte, a mortalidade infantil aumentou no Vale para 11,07, em 2017, para depois cair a 9,63 em 2018 --13% a menos do que no ano anterior.

A RMVale é a quarta das 16 regiões do estado com a menor taxa de mortalidade infantil de São Paulo. Apenas as regiões de São José do Rio Preto (8,83), Campinas (8,62) e Ribeirão Preto (8,71) têm taxa menor do que a do Vale.

"Diminuir a mortalidade infantil é um trabalho que não para e vem sendo feito com grande empenho pelas cidades da região", disse Maristela Siqueira, ex-diretora do DRS (Departamento Regional de Saúde), com sede em Taubaté.

"A qualificação do pré-natal e os cuidados com o recém-nascido foram fundamentais para derrubar esse indicador, o mais importante da saúde, ao lado da saúde da mulher".

No Vale, 16 cidades têm taxa acima da média da região; 14 reduziram abaixo

Entre as 39 cidades da RMVale, 16 têm taxa de mortalidade infantil acima da média da região, de 9,63 em 2018, segundo o Seade. Esses municípios abrigam 62% da população da região, com 1,55 milhão de habitantes.

Entre eles está São José dos Campos, cuja taxa é de 10,71 mortes de crianças abaixo de 1 ano para cada grupo de mil nascidas vivas. Outras são Taubaté (10,13), Pindamonhangaba (10,85) e Caraguatatuba (10,34). A maior taxa do Vale é a de Arapeí, com 52,63.

Outros 14 municípios têm taxa de mortalidade abaixo da média da região, como Campos do Jordão (9,26), Guaratinguetá (9,13), Jacareí (7,77) e São Sebastião (6,28). A menor taxa da região é a de Aparecida (4,6).

Em nove cidades da região a Fundação Seade não tem dados da taxa de mortalidade, como Areias, Monteiro Lobato e São Luiz do Paraitinga. Esses municípios abrigam 2,45% da população do Vale.

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 7,5 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.