Trabalhadores da Gerdau entram em greve em Pindamonhangaba

Sindicato diz que adesão é total e que a produção está parada; última greve foi em 2014

Trabalhadores da Gerdau de Pindamonhangaba entraram em greve nesta segunda-feira (18), por tempo indeterminado, por causa do valor do abono salarial.

A categoria reprovou a proposta da empresa em assembleia e deflagrou a greve. A produção está paralisada.

Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos, a greve teve adesão total dos trabalhadores, inclusive de funcionários terceirizados. Do ramo do aço, a Gerdau emprega 2.000 funcionários em Pindamonhangaba.

De acordo com o vice-presidente do sindicato, André Oliveira, após a entrega do comunicado de greve a empresa apresentou uma nova proposta, com um valor de abono para janeiro, mas que também foi reprovado.

“Isso mostra a mobilização dos trabalhadores. A gente percebe também um pouco de revolta com excesso de pressão e questões de segurança. A produtividade da empresa está aquecida e os trabalhadores resolveram mostrar pra empresa quem realmente é importante para que essa produção aconteça”, disse.

Em nota, a Gerdau disse que o “processo de negociação coletiva dos colaboradores da usina de Pindamonhangaba é realizado por meio de Convenção Coletiva com o sindicato patronal da categoria e já foi concluído, com ganhos acima da inflação”.

E afirmou: “Dentro da premissa de buscar uma condição diferenciada para seus profissionais, a Gerdau ainda ofereceu, de forma paralela à convenção acordada, um abono, que foi recusado pelo Sindicato dos Metalúrgicos. A Empresa espera chegar a um acordo e mantém-se aberta ao diálogo”.

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 7,5 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.