Após queixas de irregularidades, Pindamonhangaba cancela concurso público

Novo concurso deve ser realizado ainda neste ano, segundo a prefeitura; IUDS deve ficar responsável por ressarcimento de candidatos

Após uma série de queixas de irregularidades, a prefeitura de Pindamonhangaba anunciou nesta quarta-feira (9) o cancelamento de um concurso público realizado no mês de agosto. Mais de 32 mil pessoas realizam as provas em 12 locais de Taubaté e Pindamonhangaba.

De acordo com a prefeitura, fora iniciada uma investigação interna ainda na época das denúncias, logo após a realização das provas. As denúncias envolviam queixas como desorganização na realização das provas, superlotação das salas, atraso no início dos exames, provas com potencial para serem violadas e falta de fisais nas escolas. A prefeitura recebeu mais de 70 reclamações via aplicativo e o Ministério Público, que chegou a abrir um inquérito, recebeu mais de 100 queixas.

Segundo o município, a quantidade de protestos e reclamações levaram a administração a decidir pelo cancelamento da prova, realizado pela contratada IUDS (Instituto Universal de Desenvolvimento Social). Um novo concurso deve realizar ainda neste ano.

“Queremos ressaltar ainda nossa indignação e que estamos a favor dos ‘concurseiros’, mas querermos um concurso que seja realizado dentro da maior lisura e tranquilidade possíveis”, afirmou o prefeito.

RESSARCIMENTO.

Segundo a prefeitura, a responsável pelo ressarcimento dos candidatos é a IUDS, já que os valores das inscrições foram recebidos diretamente pela empresa.

Em nota, o IUDS informou que até o momento não foi comunicado por parte da prefeitura ou qualquer órgão sobre cancelamento do concurso realizado.

"Qualquer informação de cancelamento/devolução de valores é de inteira responsabilidade da prefeitura que divulgou o cancelamento antes mesmo da finalização da investigação do Ministério Público que opinou até o momento pela suspensão do concurso e não do cancelamento como divulgado", disse.

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 7,5 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.