Logo Jornal OVALE

Homens brancos e jovens lideram entre vítimas de homicídio em SP

Levantamento da SSP (Secretaria de Estado da Segurança Pública) apontou o perfil das vítimas de homicídio doloso no interior do estado, com dados relativos ao período de janeiro e julho deste ano; jovens morreram mais

Xandu [email protected] | @xandualves10

Homens brancos entre 20 e 39 anos são as principais vítimas de homicídio doloso no interior de São Paulo, segundo levantamento da SSP (Secretaria de Estado da Segurança Pública). Foram computados dados de janeiro e julho deste ano.

Nesse período, o estado registra 1.655 mortes por homicídio, sendo 887 no interior. O Vale do Paraíba lidera neste grupo, com 181 vítimas de homicídio entre janeiro e julho. Campinas vem em segundo lugar, com 160.

Quanto ao sexo, os homens responderam por 85,6% das vítimas de homicídio nos sete primeiros meses deste ano e as mulheres, 13,6%.

Em relação à raça/cor, o estudo mostra a branca sendo 50,2% das vítimas, a parda com 37,5%, a preta com 8% e outros com 4,3%.

A maior parte das pessoas assassinadas tinha menos de 40 anos, segundo o levantamento da SSP.

As faixas etárias com maior número de vítimas foram: 35 e 39 anos (15,1%), 30 e 34 anos (13,6%), 25 a 29 anos (13%) e 20 a 24 anos (12,1%). Ou seja, a faixa entre 20 e 39 anos respondeu por 53,8% dos mortos.

As vítimas acima de 40 anos estiveram em 29,6% dos crimes, enquanto os adolescentes e as crianças (0 a 19 anos) representaram 9,6% das vítimas.

LOCAL.

O levantamento também traçou um panorama dos locais de maior incidência de homicídios, com o primeiro lugar ocupado pelas vias públicas, com 51% dos casos.

Depois aparecem as residências (24,9%), a unidade rural (6,7%), área não ocupada (5,5%), comércio e serviços (2,6%) e restaurantes e áreas de lazer (2,5%).

No estudo das mortes, observa-se que 38,6% delas ocorreram em situação de conflitos interpessoais, entre conhecidos ou desconhecidos.

Homens lideram entre mortes violentas; crimes sexuais atingem vítimas femininas

Entre os crimes mais violentos, a divisão de sexo mostra que os homens são mais de 84% das vítimas, com exceção de morte com sinal de violência sexual, na qual as mulheres foram 100% das vítimas. Também os conflitos entre casais vitimam mais as mulheres (75,3%).

Na categoria raça/cor, os brancos (49,1%) foram os mais executados e as vítimas com emprego de grave violência (50,8%). Também estão acima de 50% nas mortes por conflitos interpessoais e naquelas ligadas ao tráfico e às drogas (58,3%). Já as mortes por linchamento têm nos pardos 100% das vítimas. Eles também são 71,4% das mortes ocorridas após reação da vítima (excetuando os policiais). Pardos são maioria (50%) nas mortas em confronto com agentes da segurança pública, depois vêm os brancos (37,5%) e os pretos (12,5%).

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 7,5 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.