Logo Jornal OVALE

Crianças da zona sul vivem dia de magia com o Castelo Rá-Tim-Bum

Passeio realizado por OVALE e parceiros reuniu crianças, algumas das quais jamais haviam deixado o Parque Interlagos, para visitarem a exposição em shopping da cidade

Thaís [email protected]_thaisleite | @_thaisleite

A pequena Carla Karina tem 10 anos e acordou às 6h nesta quinta-feira. E a ansiedade tinha um motivo especial: seria a primeira vez que ela conheceria um shopping center.

Assim como ela, mais 26 alunos da Escola Municipal Ruth Nunes de Trindade, do Parque Interlagos, viveram um dia de magia nesta quinta.

As crianças, algumas delas que nem sequer haviam saído do bairro onde moram, na zona sul da cidade, ganharam de OVALE e de um timaço de parceiros um passeio à exposição Castelo Rá-Tim-Bum, que está em cartaz no Vale Sul Shopping. "Eles nem acreditaram que estavam ganhando tudo isso", disse a professora Fernanda Macedo.

Com apoio da Redenção Turismo, a turminha embarcou às 12h30, com direito a muita festa, para o shopping.

Chegando lá, a primeira parada foi na praça de alimentação. O almoço foi patrocinado pela Setpar Empreendimentos. Pedro Henrique Ferraz, de 10 anos, comeu um lanche de fast-food. "Estava gostoso. Foi minha primeira vez!", disse o menino, animado.

Depois do lanche, a criançada aproveitou o descanso para distribuir um pouco mais de carinho, escrevendo cartas que serão distribuídas a moradores de rua, por meio de um projeto social.

EXPOSIÇÃO.

A magia, que já estava no ar, foi concretizada na exposição do Castelo Rá-Tim-Bum -- a organização franqueou a entrada dos meninos e meninas. "Essas crianças vindo aqui, para a gente é a maior alegria. Na simplicidade tem aprendizados", afirmou Rogério Ferreira, que é o coordenador Social da exposição, que vai ficar em cartaz no shopping até 4 de agosto.

Ao término do dia, a criançada ainda aproveitou para jogar futebol na academia ACM, uma das partes preferidas para o pequeno Pedro. Para Carla, que só conhecia o shopping pela televisão, o que ficou registrado mesmo foi o seu primeiro 'passeio' em uma escada rolante. "Foi muito legal. Quando subiu eu quase caí", disse aos risos. "Em casa a gente só sai quando tem gasolina no carro".

Para a diretora escolar Andreia Zilda Yamauchi, a experiência ainda foi educativa. "Como vivemos em um mundo tão conturbado, num mundo de pessoas tão intolerantes, ensinar para essas crianças valores, respeito às diferenças, é muito importante", disse.

Alunos utilizam a escrita de cartas para aprimorar português e 'espalhar amor'

Os alunos são voluntários no projeto Cartas Perdidas, que leva mensagens a asilos, abrigos e hospitais. A prática tem melhorado a escrita dos estudantes. Nesta quinta, durante o passeio, eles fizeram cartinhas para moradores de rua. Heloá de Jesus da Silva pensava em como seria dormir sem sua família por perto.

"É triste porque a gente tem uma casa, um cobertor, e essas pessoas passam frio. Eu escrevi que vou orar para eles ganharem uma casa", contou.

Para a professora Fernanda, a escrita tem mexido com sentimentos. "Trabalha o lado de afetividade, humanidade. As crianças se tornam mais doce levando uma palavra de carinho e amor para o próximo".

Macaque in the trees
Parceiros