Logo Jornal OVALE

Média de chuva na região cai 40% em junho, comparada com a média histórica

Precipitação medida pelo Cptec no Vale do Paraíba foi de 30 milímetros de chuva, abaixo da média histórica de 50 mm para o período; meses de junho a setembro são os de menor incidência de chuva no histórico da RMVale

Xandu [email protected] | @xandualves10

A chegada da estação mais fria do ano provocou queda de 40% no volume de chuvas no Vale do Paraíba, segundo levantamento do Cptec (Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos), órgão do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais).

Em junho, a precipitação medida pelo órgão na região foi de 30 milímetros de chuva, abaixo da média histórica de 50 mm. Os meses de junho a setembro são os de menor incidência de chuva no histórico da região.

No acumulado do ano, o Vale tem 890 mm de chuva entre janeiro e junho contra uma média histórica de 940 mm, um recuo de 5,32%.

No entanto, as chuvas neste ano estão mais constantes e fortes do que no ano passado. Nos seis primeiros meses de 2018, a precipitação acumulada no Vale foi de 565 mm, com 15 mm em junho. Neste ano, os valores estão 57,52% e 100% maiores, respectivamente.

Desde a crise hídrica, em 2014, a região registra oscilações na precipitação do primeiro semestre, com anos mais e menos chuvosos.

Em 2014, o acumulado de janeiro a junho foi de 420 mm, o menor deste período.

No ano seguinte, o índice aumentou para 745 mm, chegando a 830 mm em 2016 e 925 mm, em 2017.

No ano passado, as chuvas foram menos consistentes e o valor caiu para 565 mm, subindo para 890 mm em 2019, no primeiro semestre.

Com poucas chuvas, represas da bacia do Paraíba perdem 5% de volume em 30 dias

O principal impacto da estiagem nos meses frios é a retração do volume de água das represas da região. Segundo a ANA (Agência Nacional de Águas), o reservatório equivalente da região (média das quatro represas) alcançou 56,76% do seu total nesta quinta-feira, queda de 5% na comparação com o mês passado, na mesma data, com 59,50%.