Logo Jornal OVALE

Bolsa Família: frequência escolar de alunos cai 10% no Vale em um ano

Frequência escolar mensal é um compromisso assumido pelas famílias carentes ao ingressarem no programa do governo; mínimo é de 85% para crianças e jovens de 6 a 15 anos e de 75% para os beneficiários de 16 e 17 anos

Xandu [email protected] | @xandualves10

Com recorde de 89.379 famílias atendidas pelo Bolsa Família no mês de abril, o Vale do Paraíba registrou queda de 10% na quantidade de crianças e adolescentes beneficiários que cumpriram a frequência mínima escolar exigida pelo programa, em um intervalo de um ano.

Em março de 2018, de acordo com dados do governo federal, as 39 cidades da região registraram 83,1 mil crianças e adolescentes que atenderam a frequência mínima escolar, de um total de 89,8 mil alunos acompanhados, percentual de 93%.

Em março deste ano, o total de alunos acompanhados caiu para 82,3 mil (-8,41%) e o percentual de crianças e jovens que frequentaram a escola no tempo mínimo exigido pelo Bolsa Família reduziu para 75,4 mil (-10%).

A frequência escolar mensal é um compromisso assumido pelas famílias ao ingressarem no programa do governo federal.

O mínimo é de 85% para crianças e jovens de 6 a 15 anos e de 75% para os beneficiários de 16 e 17 anos. Quem não atende à condicionalidade pode perder o benefício.

Redes municipais e estaduais de educação, coordenadas pelos ministérios da Educação e da Cidadania, monitoram a assiduidade dos beneficiários em idade escolar.

Segundo o governo, dos mais de 12 milhões de alunos acompanhados, 95% cumpriram a condicionalidade de educação.

Dezessete das 39 cidades da RMVale conseguiram média de frequência em sala de aula dos beneficiados superior à média nacional. "As famílias com dificuldade em cumprir as condicionalidades podem ter seus benefícios bloqueados e suspensos. O acompanhamento da frequência escolar permite identificar onde há problema de oferta", informou o governo.

CIDADES.

As 17 cidades da região que tiraram nota A em regularidade escolar têm 16,8 mil alunos acompanhados, 20,53% da região. Quanto aos estudantes que cumpriram a frequência mínima, esses municípios somaram 16,6 mil, 22% da totalidade do Vale.

Os outros 22 municípios têm 65,4 mil acompanhados (79,47%) e 58,7 mil que cumpriram a frequência (77,92%).

Pequenas e médias cidades da região têm maior nota em educação, aponta governo

Com 3.426 mil estudantes entre os que cumpriram o critério de frequência escolar, 99,94% dos 3.428 acompanhados, Lorena foi a cidade do Vale do Paraíba com o melhor percentual na frequência mínima escola do Bolsa Família. Depois aparecem Aparecida (99,82% de frequência), Santo Antônio do Pinhal (99,68%), Ubatuba (99,6%), Redenção da Serra (98,49%) e Cunha (97,8%).

Entre as maiores cidades da região, todas abaixo da média nacional de 95%, aparecem: Jacareí (92,02%), Caçapava (91,57%), Guaratinguetá (91,50%), Caraguatatuba (91,11%), Pindamonhangaba (90,38%), São José dos Campos (90,03%) e Taubaté (86,32%).