A arapuca do Capito Cloroquina

Marcos Meirelles Jornalista |

"No aceitvel que se tenha esse vazio no Ministrio da Sade. Pode at se dizer: a estratgia tirar o protagonismo do governo federal, atribuir a responsabilidade a estados e municpios. Se for essa a inteno, preciso se fazer alguma coisa. Isso ruim, pssimo para a imagem das Foras Armadas. preciso dizer isso de maneira muito clara: o Exrcito est se associando a esse genocdio, no razovel. No razovel para o Brasil". A declarao do ministro do STF Gilmar Mendes e causou indignao nas Foras Armadas.

Mas analisemos a declarao, frase por frase. Algum, em s conscincia, julga que no h um vazio no Ministrio de Sade, comandado interinamente por um general que no sabe onde fica a Linha do Equador?

Quem duvida que a estratgia do Capito Cloroquina foi jogar toda a responsabilidade de combate pandemia para Estados e municpios?

Quem duvida que isso no foi pssimo para imagem das Foras Armadas, associadas a um governo irresponsvel, cruel e incapaz? E, por fim, quem ainda tem dvidas de que no est em curso uma poltica de genocdio, com a ausncia deliberada de governo especialmente entre os segmentos mais vulnerveis da sociedade?

Em mincias: tenho um primo bolsonarista, morador do Mato Grosso, que acredita que ndio bom ndio morto.

A indiferena do governo diante do avano da pandemia de Covid-19 nas aldeias indgenas brasileiras , sim, um comportamento genocida. E satisfaz o desejo secreto de extermnio dos povos indgenas que alimenta uma legio de bolsonaristas ligadas ao agronegcio (ou melhor, ao latifndio).

O Capito Cloroquina j foi denunciado ao Tribunal Penal Internacional, em Haia, por crime contra a humanidade na conduo da resposta do governo brasileiro pandemia de coronavrus. Quem se associa a esse desgoverno , inevitavelmente, co-responsvel.

fato, inapelvel, e no ser a tentativa de enquadrar o ministro do STF na Lei de Segurana Nacional, instituda durante a ditadura militar, que ir ajudar a melhorar a imagem das Foras Armadas..

Assinar OVALE

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi to lido. So mais de 23 milhes de acessos por ms apenas nas plataformas digitais, alm da publicao de quatro edies impressas por dia. O importante que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem lder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crtico, plural, moderno e apartidrio. Informao com credibilidade, imprescindvel para a construo de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notcia a verdade. E ns assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalstica da regio.