O maior desafio de SÃO PAULO e do Brasil

João Doria Governador de São Paulo |

A pandemia de Covid-19 gera ansiedade, temor, mortes e chacoalha verdades estabelecidas. Entendo que haja discordâncias.

Mas, à semelhança das grandes democracias, enfrentamos o coronavírus com medicina e ciência.

O isolamento social é a única forma de evitar a explosão mortífera do vírus.

Em quarentena, ganhamos tempo para preparar hospitais, produzir testes, cuidar das consequências que atingem os mais vulneráveis e também rearranjar a atividade econômica.

Governos responsáveis estabelecem prioridades e ações, não politizam o vírus em meio à maior excepcionalidade em mais de um século.

Em São Paulo, teremos quarentena até dia 10 de maio.

Em boa parte do Brasil, porém, vivemos um paradoxo: o acerto de medidas de governadores e prefeitos, que pouparam milhares de vidas até o momento.

E os que minimizaram a doença. Houvesse pilhas de corpos, os que hoje se queixam estariam em silêncio.

Muitos desperdiçam tempo com manifestações irresponsáveis e promoção de ódio.

Fere a lógica imaginarmos que alguns tentam fazer comício em velórios.

A pandemia confinou 4,5 bilhões de pessoas em 110 países.

Superlota hospitais, ameaça médicos e enfermeiros.

O que ainda é preciso para reconhecer tamanho poder destruidor?

Até que surja uma vacina ou remédio comprovadamente eficaz, o coronavírus será parte do nosso cotidiano.

São Paulo preparou sua estrutura de saúde com compra de equipamentos, criação de leitos, contratação de profissionais de saúde e hospitais de campanha.

Também está em curso a doação de quatro milhões de cestas básicas reforçadas com produtos de higiene para poder atender aos mais carentes.

A ação solidária é resultado de doações de quase 90 empresas.

O Estado fornece ajuda financeira para mais de 700 mil alunos em situação de extrema pobreza.

Negociamos, com as empresas de água, luz e também de gás encanado, a carência de 90 dias para famílias de baixa renda que estejam inadimplentes.

Precisamos de união para construir a nova realidade.

Quanto maior for nossa disciplina e respeito ao próximo, mais eficiente e segura será a retomada gradual da economia.

A quarentena é uma etapa imprescindível para que São Paulo, e o Brasil, vençam o maior desafio da sua história.

Temos de nos guiar pela ciência, pela inovação e pela solidariedade.

Essa é a tarefa de quem não tem tempo a perder. Nem medo do que fazer..

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 13 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.