Só acaba quando termina

Poeta Marcelo Escritor e jornalista |

O Brasil tinha poucas chances de vencer a Argentina, na final da Copa América de 2004. Eu segui o ritual e fui ver o jogo na casa da minha avó. Meu pai colocou uma cadeira muito perto da TV (quase nariz na tela) e a vovó fez bolinho de chuva, como sempre.

Nosso time reserva resistiu até o final, quando a Argentina fez o gol que lhe daria o título. Daria. Futebol não acaba no final. Depois, ainda tem o finalzinho. E, na última bola, o Adriano fez um gol tão incrível quanto improvável. Coisa de Imperador. Na hora, corri feito louco pelo quintal e meu pai quase derrubou os bolinhos de chuva. A casa da vovó tinha essa coisa legal de ter quintal na frente, nos fundos, quintal do lado. Dava para correr aquilo tudo gritando é campeão.

No ano seguinte, enfrentamos de novo a Argentina, dessa vez na Copa das Confederações. E, com time completo, foi muito mais fácil. Kaká fez um, Gaúcho outro e Adriano marcou logo dois. Coisa de Imperador. Mas foi estranho pra mim. Um mês antes, papai tinha perdido para seus excessos e o coração não aguentou.

Sabe, tem vezes nessa quarentena que me pego vendo jogo antigo. Mas sempre evitei essa final. Até a Globo anunciar que domingo, 16 horas, vai reprisar a partida.

Decidi que é hora de ressignificar: vou fazer bolinho de chuva, colocar uma cadeira bem pertinho da TV (quase nariz na tela), e correr pelo meu apartamento em cada gol como se fosse a primeira vez. Incluindo pela varanda de 1 metro e meio.

Cuide-se. Algumas saudades vão se encerrar ao fim da quarentena, num abraço. Outras, são para sempre..

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 13 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.