DE QUE LADO VOCÊ ESTÁ?

Diante de uma dura guerra, Brasil corre o risco de seguir o caminho da Itália e sofre com o fogo amigo do Planalto

Guerra mundial. O planeta, assolado pela maior crise global desde a metade dos anos 1940, vive em 2020 uma nova guerra mundial. Diferente daquela que opôs os aliados e as forças do Eixo, em trincheiras enlameadas na Europa, nas ilhas do Pacífico ou nas águas do Canal da Mancha, a atual guerra mundial é travada em todos os lugares: ali na esquina, no transporte público, na sala de sua casa e até mesmo em um aperto de mãos, beijo ou abraço. Agora, ao contrário do que aconteceu na Segunda Guerra, quando havia clara definição de quem era o inimigo, o adversário é invisível: trata-se do novo coronavírus, pandemia que infectou mais de 500 mil pessoas em mais de 200 países e já matou mais de 26,8 mil ao redor do planeta. Quais são as informações direto do front de guerra?

O cenário é desolador.

Em edição especial, o caderno Documento OVALE, produzido pelo Núcleo de Jornalismo Investigativo e Grandes Reportagens de OVALE, traz um retrato completo do campo de batalha.

Após uma semana decisiva, que teve sete 'Dias D', o desgovernado Brasil corre risco de, irresponsavelmente, repetir o mau exemplo da Itália, país que desdenhou do coronavírus, justificando que não poderia isolar pessoas e que a economia não podia parar, e hoje, às lágrimas, conta aos montes os seus mortos e o prejuízo.

Ao invés de 'achatar a curva' do crescimento de casos, evitando a explosão da pandemia durante a primeira quinzena de abril, com o colapso da saúde, o governo brasileiro, como um Nero moderno, atirou nitroglicerina nas chamas, ao invés de combater o incêndio.

Sem freio, seguindo na contramão das autoridades sanitárias do planeta e sem respaldo técnico, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) incentivou o término da quarentena -- traduzindo, de forma desequilibrada, colocou em risco a vida de milhões e milhões de brasileiros.

Não é achismo.

Adotar estratégias radicais de isolamento social para conter novo coronavírus pode salvar mais de um milhão de vidas no Brasil, de acordo com estudo feito por uma equipe de 30 cientistas do Imperial College de Londres. Um milhão de pessoas.

Para vencer o coronavírus, esse exército invisível, é preciso colocar o presidente em quarentena, evitando que ele provoque mais e mais estragos. Nessa guerra, fogo amigo é impensável.

A prevenção de hoje vai salvar milhares de vidas amanhã.

De que lado da trincheira você está em meio a essa guerra?.

 

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 8,5 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.