Taubaté fica no empate sem gols com o Audax e segue sem vencer no Joaquinzão

Marcos Eduardo Carvalho | @marcosovale78

O Taubaté criou bastante, mas não consegui furar a defesa do Audax Osasco e ficou no empate por 0 a 0 na noite desta segunda-feira (3), no Joaquinzão, em Taubaté, pela 11ª rodada da primeira fase do Campeonato Paulista da Série A-2.

Com o resultado, o time comandado pelo técnico Marcelo Martelotte segue sem vencer dentro de casa na temporada. Com 10 pontos, está em 14º lugar, quatro pontos atrás do G-8 e outros quatro à frente da zona de rebaixamento.

Foi o segundo jogo consecutivo em casa e o segundo que o time da região passou em branco -- antes, perdeu de 1 a 0 para o Monte Azul, na noite de sexta-feira.

Com um ponto a mais, o Audax Osasco está em 12º lugar na classificação.

Agora, o Burro da Central volta a jogar na quinta-feira (6), quando visita o São Bernardo Futebol Clube, a partir das 22h, no estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas.

O time da Grande São Paulo, no mesmo dia e horário, recebe o Esporte Clube São Bernardo, no estádio José Liberatti, em Osasco.

O JOGO.

O Taubaté começou com vontade e logo no primeiro minuto Érick Salles fez cruzamento da esquerda com perigo e a zaga afastou para escanteio.

O Audax, porém, também esboçou alguma jogada de ataque em seguida, mostrando que também poderia levar perigo.

O Burro da Central apostava nas jogadas pelos lados do campo, tentando ganhar na velocidade da defesa adversária.

A tática era clara: o Taubaté ia para cima, pressionava e o Audax Osasco tentava buscar o contra-ataque. E, aos 17min, o Burrão perdeu o zagueiro e capitão Ferreira, com lesão muscular, provavelmente por conta da maratona de jogos da A-2.

Assim, ele foi substituído pelo zagueiro Henrique, que fez a sua reestreia no Burrão, depois de ter sido campeão da Quarta Divisão do ano passado com o rival São José.

Aos 23min, com Brenner, o Taubaté quase abriu o placar, mas o goleiro Jefferson espalmou para fora da área.

E, aos 28min, o Burrão chegou de novo, desta vez com Esquerdinha, que chutou de fora da área e o goleiro espalmou para escanteio.

O Audax chegou com muito perigo aos 37min, após a defesa do Taubaté sair jogando errado com o goleiro Felipe. David Lucas aproveitou a bobeada e chutou, mas a bola passou à esquerda, com muito perigo.

Mas o primeiro tempo terminou mesmo empatado sem gols.

Na etapa final, o Taubaté começou em cima novamente, tentando fazer o gol e teve uma chance logo aos 2min. Em seguida, o Audax deu a resposta e também arriscou chute.

Depois, aos 8min Erick Salles teve boa chance para o Burrão, em chute pela esquerda, que Jefferson fez a defesa.

A pressão do Taubaté era grande e, aos 10min, Tadeu, na pequena área, perdeu grande chance de abrir o placar.

O Burrão ficava a maior parte do tempo no campo de ataque e também não dava oportunidade para o Audax contra-atacar. Mas falta a objetividade para fazer o gol.

O tempo foi passando, o Taubaté perdeu fôlego e, mesmo com muito mais posse de bola, não conseguia mais atacar, não conseguia entrar na área.

Aos 42min, com Adriano, o Burrão perdeu grande chance, ao receber na pequena área, mas sem dominar. E o zagueiro do Audax acabou desviando e Jefferson defendeu.

Mas, nos minutos finais, apesar das tentativas, o Taubaté não conseguiu marcar o gol.

FICHA TÉCNICA

TAUBATÉ

Felipe; Buchecha (Jeff Silva), Ferreira (Henrique), Doni e Anderson Santos; Elias Ceará (Ygor), Elivelton, Esquerdinha e Erick Salles (Rodriguinho); Brenner e Tadeu (Adriano). Técnico: Marcelo Martelotte.

AUDAX

Jefferson, Wesley (Borguetti), Lucas, Romário e Diego Maia; David Lucas, Samoel Pizzi (Brasília), Gustavo e Mattheus (Fidel); Paulo (Steylor) e Damasceno (Guilherme Vieira). Técnico: Robélio Cavalinho

Árbitro: Flávio Roberto Mineiro Ribeiro. Cartões amarelos: Buchecha, Elias Ceará, Henrique (T); Guilherme Vieira, David Lucas, Borguetti (A). Local: Joaquinzão

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido, assistido, curtido e compartilhado. São mais de 23 milhões de visualizações por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação da edição impressa, revistas e suplementos especiais. E sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Seja livre, seja OVALE. Viva a democracia. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.