Finalista da Libertadores, Palmeiras perde Gomez e Zé Rafael por problemas físicos

Gazetapress | @jornalovale

Único time ainda envolvido em três torneios, o Palmeiras sofreu com problemas físicos contra o River Plate. Durante a semifinal da Copa Libertadores, disputada na noite de terça-feira, o técnico Abel Ferreira precisou substituir o zagueiro Gustavo Gomez e o meio-campista Zé Rafael, que devem ser reavaliados já nesta quarta.

Ainda no primeiro tempo, o capitão Gustavo Gomez, melhor jogador do time na temporada, ficou deitado no gramado do Allianz Parque e cobriu o rosto com a camiseta. Atendido em campo, o zagueiro paraguaio não teve condições de seguir e, retirado pelo carrinho da maca, acabou substituído por Luan.

Na etapa complementar, com o Palmeiras pressionado pelo River Plate, Abel Ferreira também precisou substituir Zé Rafael. Sem volantes no banco de reservas na semifinal da Copa Libertadores, o treinador português decidiu promover a entrada do zagueiro Emerson Santos.

“Temos que recuperar os jogadores e, mais uma vez, entender quais teremos para compor o elenco no próximo jogo. Aqui, ficamos sem Gomez e Zé Rafael. No banco, não tínhamos um volante. Até deixei o Luan na reserva com a perspectiva de precisar de um”, declarou Abel.

Contra o River Plate, o treinador português não contou com Mayke (covid-19), Patrick de Paula (suspenso), Gabriel Veron (lesão na coxa esquerda) e Gabriel Silva (sem condição de disputar jogo de alta intensidade). Além de Felipe Melo, Wesley e Luan Silva, todos em recuperação de cirurgia.

Contra o vencedor do duelo entre Santos e Boca Juniors, o Palmeiras disputa a final da Copa Libertadores apenas em 30 de janeiro. Às 21h30 (de Brasília) desta sexta-feira, pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro, o time alviverde enfrenta o Grêmio, no Allianz Parque.

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido, assistido, curtido e compartilhado. São mais de 23 milhões de visualizações por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação da edição impressa, revistas e suplementos especiais. E sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Seja livre, seja OVALE. Viva a democracia. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.