Coronavírus: Popó põe cinturão em leilão para comprar cestas básicas

Juliano Justo | Agência Brasil

O tetracampeão mundial Acelino Popó agradeceu neste domingo (5), em um vídeo no Instagram, os lances acima de R$ 40 mil de interessados em adquirir o cinturão mundial conquistado pelo pugilista em 2002. No último sábado (4), o pugilista entrou no combate à pandemia do novo coronavírus (covid-19) ao levar a leilão o cinturão, pelo lance inicial de R$ 20 mil. O valor arrecadado será usado na compra de cestas básicas para a população mais carente de Salvador (BA), onde reside o atleta.

"É para a gente poder comprar mais cestas básicas. Conto com sua ajuda. Não é para mim. É para todos", disse o ex-boxeador baiano, de 44 anos, no vídeo anunciando o leilão, publicado no sábado (4). Os interessados podem dar o lance no leilão no Instagram do pugilista (@popofreitas).

O cinturão é o da AMB (Associação Mundial de Boxe), categoria Super Penas (até 58,9Kg). O triunfo ocorreu em janeiro de 2020, em Las Vegas (Estados Unidos), quando Popó venceu por pontos o cubano Joel Casamayor.

Desde o início da pandemia, Popó tem participado de várias ações solidárias. “Tenham certeza que é a minha obrigação. Pelas noites perdidas por vocês, pelos ingressos comprados para acompanhar as minhas lutas. Eu sei que não é muito. Mas espero que esse pouco que eu estou fazendo seja muito para alguém“, disse o lutador.

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 8,5 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.