Corinthians vence, mas é eliminado na Libertadores

Gazetapress | [email protected]

Depois de perder por 1 a 0 no Paraguai, o Corinthians conseguiu o placar de que precisava nesta quarta ainda no primeiro tempo, mas os gols marcados por Luan e Boselli foram em vão devido ao tento sofrido em cobrança de falta de Fernando Fernandéz, na etapa final. A busca pelo terceiro e necessário gol foi afetada pela expulsão de Pedrinho ainda com 28 minutos de jogo e o Corinthians, apesar da vitória por 2 a 1, deu adeus à Copa Libertadores da América logo na segunda fase da competição continental, no primeiro confronto da equipe.

Assim, o clube segue sem vencer um mata-mata de Libertadores dentro da Arena e, como em 2015, viu o modesto Guaraní do Paraguai fazer a festa em Itaquera.

Resta ao Corinthians pensar no clássico contra o São Paulo, sábado, às 19h, no Morumbi, pelo Campeonato Paulista.

PRIMEIRO TEMPO.

Tiago Nunes resolveu apostar em Vagner Love e Pedrinho nas vagas de Janderson e Everaldo. Na prática, um time com mais imposição dentro da área. Atrás, os mesmos problemas apresentados desde o início da temporada.

Apesar dos sustos, o gol veio cedo, antes dos 10, graças a canhota de Luan, que contou com a colaboração do goleirão rival.

O problema é que Nestor Pitana estava disposto a distribuir cartões. Foram quatro amarelos em menos de 30 minutos, dois deles para Pedrinho, ambos por pé alto. O camisa 10, que estreava em 2020 pelo Timão, deixou o campo chorando.

Mas, a equipe se saiu bem com um a menos e chegou ao segundo gol com Mauro Boselli, o matador alvinegro, depois de passe de Vagner Love. Aliás, por muito pouco Love não fez o terceiro no último lance do primeiro tempo. O goleiro do Guaraní salvou quase sem querer.

SEGUNDO TEMPO. 

O Corinthians voltou para a etapa final sem alterações. A disposição, porém, não foi a mesma. E o Guaraní cresceu. Não demorou, e o que a Fiel temia, aconteceu. Pitana inverteu uma falta em Boselli, os corintianos foram pegos de surpresa e tomaram o contra-ataque. Na entrada da área, o argentino apitou falta de Gil, que não encostou no adversário. Fernando Fernández acertou o ângulo na cobrança e venceu Cássio, que até tocou na bola.

Daí para frente, foi o Corinthians, mesmo com um a menos, tentando de todas as maneiras chegar ao gol, enquanto os paraguaios apostavam no contra-ataque. Tiago Nunes mandou Piton, Gustavo e Janderson para o tudo ou nada.

Aos 40, Romaña acertou Janderson e foi expulso, deixando apenas os minutos finais no 10 contra 10.

Boselli, em duas oportunidades, chegou perto de marcar. Mas, os inúmeros chuveirinhos não fizeram efeito, e o Corinthians deu adeus à Libertadores por causa do gol levado em casa.

FICHA TÉCNICA:

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Pedro Henrique, Gil e Sidcley (Piton); Camacho (Janderson), Cantillo e Luan; Pedrinho, Vagner Love (Gustavo) e Boselli. Técnico: Tiago Nunes

GUARANÍ-PAR: Servio; Ronald Garcia (Maná), Javier Báez, Romaña e Iván; Guillermo Benítez, Florentín (Raúl Bobadilha), Morel e Ángel Benítez; Redes e Fernando Fernandez (Edgar Benítez). Técnico: Francisco Burgo

GOLS: Corinthians: Luan, aos 6, e Boselli aos 33 minutos do 1T; Guaraní: Fernando Fernández, aos 8 minutos do 2T. Árbitro: Nestor Pitana (ARG). Assistentes: Juan Belatti e Julio Fernandez (ARG). Cartões amarelos: Pedrinho (2) (COR); Baéz, Ángel Benítez, Romaña (2) (GUA). Cartões vermelhos: Pedrinho (COR); Romaña (GUA). Local: Arena Corinthians, em São Paulo (SP). Público e renda: 40.327 pagantes / 40.598 total / $2.225.657,34

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 7,5 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.