São Paulo decepciona e perde em casa para o Fluminense

[email protected] | [email protected]

Após quatro vitórias seguidas, o São Paulo conheceu sua primeira derrota atuando como mandante desde a chegada de Fernando Diniz. Na noite desta quinta-feira, o Tricolor Paulista pouco produziu no ataque, bobeou na defesa e foi superado pelo Fluminense por 2 a 0 no Morumbi, pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Com o resultado, o São Paulo estaciona nos 52 pontos e poderia perder a vaga no G-4 para o Grêmio (o jogo contra o CSA não havia acabado até o fechamento desta edição). O Fluminense, por sua vez, volta a vencer depois de cinco jogos, vai aos 34 pontos e sobe para a 16ª colocação, empurrando o Botafogo para a zona de rebaixamento.

O São Paulo volta aos gramados domingo, quando recebe o Athletico Paranaense, às 16h, novamente no Morumbi. No mesmo dia e horário, o Tricolor das Laranjeiras vai a Porto Alegre, onde enfrenta o Internacional, no Beira-Rio.

Em um embate de características semelhantes, o Fluminense adiantou a linha de marcação nos primeiros minutos e até ofereceu perigo à meta de Tiago Volpi. Aos poucos, o Tricolor Paulista tomou o controle da partida e passou a jogar no campo de ataque, mas abusava das jogadas pela faixa central, facilitando a defesa carioca.

O Fluminense contou com a força da bola aérea e uma bobeada de Daniel Alves, que cometeu falta infantil, para abrir o placar. Após cruzamento açucarado de Daniel, o zagueiro Digão apareceu livre de marcação para cabecear e balançar as redes.

Os donos da casa sequer tiveram tempo de sentir o golpe. Três minutos depois do tento inaugural, Caio Henrique puxou contra-ataque, viu um buraco no sistema defensivo do São Paulo e encontrou Marcos Paulo. O atacante revelado em Xerém tocou na saída de Volpi, assistiu à bola tocar na trave antes de entrar e levou o Flu para o intervalo com uma valiosa vantagem.

Sem demonstrar poder de reação, o São Paulo, além de sofrer para sequer chutar a gol, passou a lidar com protestos da torcida durante o segundo tempo. Antes mesmo dos 35 minutos do segundo tempo, os são-paulinos começaram a entoar gritos de time "sem vergonha" e "muito respeito com a camisa tricolor".

Na base do abafa, ao adiantar todo o time para o campo de ataque, o São Paulo seguiu batalhando para construir pelo menos uma boa chance no segundo tempo. Mas sem êxito. Desta forma, a equipe de Fernando Diniz deixou o campo sob vaias, enquanto os jogadores do Fluminense celebravam a saída da zona de rebaixamento..

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 7,5 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.