Logo Jornal OVALE

Após título inédito, Taubaté já mira se manter no topo do vôlei nacional

Marcos Eduardo Carvalhomarcosovale78 | @jornalovale

O sonho virou realidade. E o Vôlei Taubaté é campeão da Superliga Nacional masculina. O título conquistado no último final de semana ainda repercute na cidade. O clima de festa é grande entre atletas, dirigentes e, principalmente, entre os torcedores. O time bicampeão da Copa do Brasil e pentacampeão brasileiro, agora também é campeão do principal torneio do país. Assim, Taubaté pode se considerar hoje a 'capital nacional do vôlei'.

Com um elenco repleto de estrelas, superou o Sesi nas finais, que foram disputadas na melhor de cinco partidas - a última delas no sábado. Nesta segunda-feira, jogadores e comissão técnica participaram de uma entrevista coletiva para falar do balanço da equipe e ainda prever o futuro.

Para o supervisor Ricardo Navajas, acostumado a conquistar títulos nos tempos em que era treinador, sabe que agora a dificuldade em se manter no auge vai ser bem maior. "É muito difícil vencer. Agora, vai ser muito mais difícil continuar vencendo. Isos, é um desafio enorme. Vamos deixar a vaidade de lado, arregaçar a manga e trabalhar mais ainda e entender os prós. Precisamos entender que é um desafio. Todo mundo quer ganhar de quem já ganhou", afirmou o dirigente, que está à frente do projeto desde que o vôlei chegou a Taubaté, em 2014.

PROJETO.

O capitão Rapha é o jogador que está há mais tempo no time, desde o primeiro ano da cidade. Ele destacou a alegria da conquista e também a importância da continuidade do projeto.

"Realmente, foi indescritível, não consigo nem falar o quanto feliz a gente está. Foi um título para coroar realmente um projeto sério, que a cada ano vem se estruturando mais, reforçando o time e reforçando as bases do time, e que faz do trabalho ainda mais importante, que é a inclusão do esporte na sociedade, nas crianças", afirmou.

"Levantar esse troféu foi mais do que um título, foi uma lição de vida para todos esses jovens, essas crianças que vivem e amam o esporte taubateano. Ficou feliz de ter contribuindo um pouquinho para essa história", disse.

"A união do nosso grupo fez uma grande diferença, a cidade ajudando, toda a estrutura e isso foi importante no final. O grupo assimilou tudo isso. A gente treina muito, todo dia, mas nesse último período a gente superou essa linha do máximo e viu que valeu a pena".

Comandante, Renan ressalta a estrutura do clube após a conquista do título

Acumulando o cargo de técnico da Seleção Brasileira e técnico do Taubaté desde fevereiro, quando assumiu o cargo do time da região, Renan dal Zotto, que como jogador fez parte da 'geração de prata' vice-campeã olímpica em 1984, ressaltou o trabalho realizado pela gestão do vôlei taubateano.

"Realmente estou muito feliz, porque foi um risco muito grande ter perdido no decorrer na competição. Mas como eu conhecia o projeto, fiquei muito bem impressionado. Vindo aqui, conhecendo de perto. Tem um propósito muito legal, uma cidade por trás", afirmou após a carreata de domingo pelas principais ruas da cidade.

Nesta segunda-feira, ele não participou da coletiva, já que foi a Saquarema-RJ, onde iniciou os treinamentos com a seleção. Renan, no entanto, já tem contrato com o Taubaté até o final da temporada 2020. Ele assumiu no lugar do argentino Daniel Castellani, demitido após a campanha abaixo do esperado durante a Copa Libertadores.

Pelo menos sete jogadores do elenco atual vão continuar na próxima temporada

A Superliga Nacional 2018/2019 acabou e, com ela, o mercado de contratações se agitam. Oficialmente, pelo menos sete jogadores do atual elenco do Taubaté vão continuar na próxima temporada. Os ponteiros Lucarelli e Douglas Souza renovaram por mais dois anos; o capitão Rapha, o central Lucão e o oposto Leandro Vissotto têm mais um ano de contrato; e o líbero Thales renovou por mais um ano. Entre os que saem, apenas o central Otávio já confirmou, oficialmente, que se transfere para o Cruzeiro na próxima temporada.