Estimativa na RMVale é de ter até 4.000 infectados em abril

Número de infectados varia de acordo com a curva de aumento da doença, que as autoridades médicas tentam reduzir; casos positivos tendem a dobrar de número no período de três a cinco dias

Xandu [email protected] | @xandualves10

O Vale do Paraíba tem dois cenários para o aumento dos casos positivos para o novo coronavírus na região.

No mais otimista, o número de doentes passaria de 600 até o final de abril. No pessimista, a situação seria bem mais complicada, com mais de 4.000 casos positivos no mesmo período.

A conta segue estatísticas consolidadas no enfrentamento da pandemia do coronavírus e verificadas em diversos países.

Segundo José Henrique Germann, Secretário de Estado da Saúde, estudos apontam que a cada três dias o número de casos pode dobrar.

No Vale, essa estatística já foi demonstrada. Em 18 de março, a região registrou os três primeiros casos confirmados da doença, dois em São José dos Campos e um em Taubaté.

Em 25 de março, uma semana depois, o número de positivos da doença na região subiu para 13, percentual de 300% a mais ou 4,3 vezes de aumento.

Nesta sexta-feira (27), os casos confirmados chegaram a 19, um crescimento de 46% em relação ao número de doentes no último dia 25.

Se seguir a tendência de dobrar a cada três dias, o Vale poderá ter 38 casos no dia 1º de abril, daí passando para 76 e assim por diante, até atingir mais de 4.000 no final de abril.

Na versão mais otimista, os casos dobrariam a cada cinco dias, passando para 38 em 3 de abril e daí para 76 no dia 9, alcançando 600 doentes com coronavírus no final de abril.

A estatística, contudo, dependerá da evolução dos casos na região que, por sua vez, serão consequência do grau de engajamento da população às medidas de restrição e distanciamento social.

Segundo Germann, as medidas de restrição adotadas pelo Estado estão em "linha com a literatura e as demais histórias de epidemia que se conhece".

Para ele, o fundamental é evitar as aglomerações promovendo o distanciamento social.

"Dados mostram que estamos no caminho certo. Apelo para continuar nesse distanciamento, não afrouxem, para que possamos caminhar até o fim da quarentena dentro do mesmo padrão", afirmou.

O governador João Doria (PSDB) não descartou tomar medidas mais restritivas caso pessoas do grupo de risco não sigam a orientação de ficar em casa. "Idosos em ruas e áreas de circulação poderão ser abordados por policiais, que recomendarão que sigam para suas casas"..

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 8,5 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.