Especial

Novo litoral: o futuro vem pelo asfalto

Nova Tamoios trará incrementos ao turismo e desenvolvimento econômico à região, com redução de custos logísticos ao porto

Da Redação
21/04/2021 às 00:00.
Atualizado em 24/07/2021 às 02:29
Tamoios (Divulgação)

Tamoios (Divulgação)

O futuro vem pelo asfalto.

A duplicação da Rodovia dos Tamoios e mais a construção dos contornos entre Caraguatatuba a São Sebastião darão à região um estratégico equipamento de desenvolvimento.

Serão 120 quilômetros de possibilidades para o crescimento econômico da RMVale e, especialmente, das quatro cidades do Litoral Norte.

É grande a lista de benefícios que a região terá com a obra, contemplando diversos aspectos da economia regional, com maior destaque para o incremento do turismo.

“A Tamoios passa a ser um eixo de rota cênica e, ao mesmo tempo, um eixo de logística altamente qualificado. As estradas de São Paulo estão entre as mais belas do mundo, e a nova Tamoios será mais um elemento de interesse”, disse o secretário estadual de Turismo, Vinicius Lummertz.

O presidente da RMVale e prefeito de Paraibuna, Victor de Cassio Miranda (PSDB), o Vitão, disse que o primeiro impacto positivo da obra foi aumentar o nível de segurança. “Perdemos muitas vidas”.

As mortes na Tamoios despencaram após o início da operação da concessionária e da conclusão das obras de duplicação do planalto.

Entre 2010 e 2014, no período anterior ao início da concessão, foram registradas 116 mortes na Tamoios, média de 23 por ano. Nos cinco anos de administração da estrada, o número caiu para 10 mortes, média de dois óbitos por ano, uma queda de 91%.

Segundo a concessionária, houve uma redução de 70% na quantidade de acidentes com vítimas.

“A questão econômica impactou bastante com o aumento do movimento para o Litoral Norte. As pessoas consomem nos restaurantes, lojas e artesanatos ao longo da estrada e também frequentam mais Paraibuna”, disse Vitão.

“Com a duplicação da rodovia e o término do contorno, o turismo em Caraguatatuba tem tudo para ser alavancado”, afirmou o prefeito da cidade, Aguilar Junior (MDB).

Na avaliação da construtora Queiroz Galvão, responsável pelas obras da serra, a duplicação permitirá a redução de custos logísticos para o comércio nacional e internacional. “Isso é fundamental para a competitividade dos produtos brasileiros, geração de empregos e dinamização econômica da região”, apontou a empresa.

Também ressaltou a segurança: “As curvas serão menos sinuosas, com rampas menos íngremes e que propiciarão maior conforto e segurança aos usuários”.

Para Vitão, é a oportunidade de cobrar melhorias no Porto de São Sebastião, para “termos a ampliação e modernização do porto. Vamos cobrar”..

Siga OVALE nas redes sociais
Copyright © - 2021 - OVALETodos os direitos reservados. | Política de Privacidade
Desenvolvido por
Distribuido por