A escalada dos casos

Acelerao de novos infectados e de mortes por Covid-19 no Brasil mostra que vrus deve ser levado muito a srio

Março de 2020. Mês em que o Brasil registrou a primeira morte pelo novo coronavírus. Após os 31 dias de março, o Brasil somava 201 mortes e 5.717 casos confirmados de Covid-19.

Na última quinta-feira, dia 30, quando terminou o mês de abril, o país já somava impressionantes 5.901 mortes e 85.380 casos da doença.

Ou seja, em 30 dias, o número de mortes em decorrência do vírus cresceu 2.835% no país. O número de casos cresceu 1.393%.

Na região, cenário parecido. Até o dia 31 de março eram 42 casos e 3 mortes. No fim de abril, já eram 572 infectados (aumento de 1.261%) e 32 mortos (crescimento de 966%).

Ou seja, quem insiste em ignorar as autoridades de saúde, minimizando os riscos da doença e a necessidade de isolamento social, também parece ignorar a matemática e o raciocínio lógico. O número de casos está aumentando, a curva cresce em movimento vertiginoso. Só não vê quem não quer.

Vale lembrar que, com a enorme fila de exames em todos os estados, os números atuais acabam por representar uma realidade que provavelmente ocorreu 15 dias atrás. Esse é o tempo médio que tem demorado entre a suspeita, a coleta de material e a confirmação dos casos. Isso sem falar na óbvia subnotificação Brasil afora.

Na última semana, um estudo feito pelo Imperial College de Londres mostrou que, dentre 48 países, o Brasil tem a maior taxa de contágio. Isso significa que, por aqui, a transmissão ocorre de forma mais rápida do que nos outros países analisados.

Na região, no início de abril, o número diário de novos casos confirmados estava na casa da dezena. No último dia do mês, foram mais 69. No Brasil, são cerca de 400 mortes a cada dia.

Todos esses números nos fazem crer que o mês de maio será ainda mais cruel e desafiador para todos nós. A tendência é de que a doença se espalhe cada vez mais para o interior. O Vale do Paraíba está nessa rota. Estamos entre as duas principais cidades do país, que lideram o triste ranking de casos.

Não ignore as autoridades de saúde. Não feche os olhos para a ciência. Não despreze os números. Proteja a sua vida e a vida de quem você ama. Proteja quem você sequer conhece. Fique em casa..

Assinar OVALE

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi to lido. So mais de 13 milhes de acessos por ms apenas nas plataformas digitais, alm da publicao de quatro edies impressas por dia. O importante que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem lder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crtico, plural, moderno e apartidrio. Informao com credibilidade, imprescindvel para a construo de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notcia a verdade. E ns assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalstica da regio.