Governo faz corte no Bolsa Famlia e exclui 36,7 mil pessoas em seis meses

Nmero de benefcios do Bolsa Famlia no Vale do Paraba sofreu reduo pelo sexto ms consecutivo, segundo dados oficiais do Palcio do Planalto; no perodo, um total de 36.761 pessoas pobres foram excludas do programa

Xandu [email protected] | @xandualves10

Depois de recorde histórico em maio, com 91,4 mil famílias atendidas no Vale do Paraíba, o Ministério da Cidadania retirou 10.812 famílias do programa neste mês de novembro, uma diminuição de 11,83% na comparação com maio; 36.761 pessoas pobres ficarão sem atendimento do Bolsa Família no Vale.

O número de famílias pobres do Vale do Paraíba atendidas pelo Bolsa Família em novembro é o menor desde julho de 2017, mesmo com o aumento da pobreza por conta da crise econômica.

"Não há dúvida de que tem mais gente pobre na região. A situação está cada vez pior, o desemprego só aumenta", disse o economista Luiz Carlos Laureano, pesquisador da Fapeti (Fundação de Apoio à Pesquisa, Tecnologia e Inovação), da Unitau (Universidade de Taubaté).

Em novembro, o Ministério da Cidadania irá atender 80.588 famílias no Vale, a menor quantidade de beneficiados no governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL), que bateu o recorde histórico do programa em maio, quando atendeu 91,4 mil famílias.

Desde então, os cortes se tornaram sucessivos e acumulam seis meses de baixa no programa, com retração de 11,83% no total de atendidos em novembro, na comparação com maio.

Foram retiradas 10.812 famílias pobres do programa nesse período, o que representa 36.761 pessoas abaixo da linha da pobreza que ficarão sem atendimento do Bolsa no Vale.

O programa atende famílias em situação de extrema pobreza, com uma renda mensal per capita de até R$ 89, e famílias em condição de pobreza, com renda por pessoa até R$ 178 mensais.

Os cortes atingiram todo o país. Dados do Ministério da Cidadania mostra que, em novembro de 2019, o benefício será pago a 13,2 milhões de famílias, segundo menor volume registrado nos últimos oito anos. Em seis meses, o governo excluiu 1,15 milhão de beneficiários do programa.

Desde a criação do Bolsa, em 2004, quando 3,6 milhões de famílias foram cadastradas, só no início do governo de Michel Temer (MDB) se viu um corte tão grande, quando 1,2 milhão de famílias foram retiradas em 10 meses.

Ministério da Cidadania diz que a redução deriva de mudanças na economia do país

O Ministério da Cidadania afirmou, por meio de nota, que a redução ocorreu porque o programa passa por um redirecionamento, em razão das "frequentes mudanças no cenário econômico". "Técnicos do Ministério da Cidadania têm se debruçado em estudos para aperfeiçoar a gestão do programa e os processos de inclusão, exclusão e manutenção de famílias na folha de pagamento, com o objetivo de beneficiar os que realmente precisam", informou a pasta. O ministério disse ainda que houve redução no número de famílias cadastradas no programa nos últimos meses, o que deve ser normalizado com a conclusão dos estudos técnicos.

Assinar OVALE

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi to lido. So mais de 7,5 milhes de acessos por ms apenas nas plataformas digitais, alm da publicao de quatro edies impressas por dia. O importante que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem lder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crtico, plural, moderno e apartidrio. Informao com credibilidade, imprescindvel para a construo de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notcia a verdade. E ns assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalstica da regio.