Logo Jornal OVALE

Mercado imobilirio cresce 236% em So Jos e empresrios cobram novo zoneamento

Lanamentos imobilirios foram de 418 para 1.407 unidades em 12 meses, alta recorde de 236%; empresrios cobram do prefeito de So Jos a aprovao da nova Lei de Zoneamento para evitar desabastecimento em 2020

Xandu [email protected] | @xandualves10

O mercado imobiliário em São José dos Campos deu um salto de 236%, em 12 meses, lançando 1.407 novas unidades entre maio de 2018 e abril deste ano contra 418, no período anterior.

Os números foram apresentados nesta segunda-feira em encontro do Secovi (Sindicato da Habitação). No mesmo intervalo, foram comercializados 1.329 imóveis novos no município. O resultado representa alta de 10% em relação às 1.209 residências vendidas no levantamento passado.

Quanto ao estoque, São José encerrou abril com a oferta de 1.113 unidades disponíveis para a comercialização, queda de 9,8% em relação ao mesmo mês do ano anterior, com 1.234 imóveis.

No levantamento, os imóveis de dois dormitórios econômicos destacaram-se em todos os indicadores,com a maior quantidade de lançamentos (874), de vendas (787 unidades), de oferta final (767 unidades) e o maior VGV (Valor Global de Vendas), de R$ 136,2 milhões.

Na avaliação de Paulo Cunha, diretor regional do Secovi em São José, a produção de novas unidades precisa aumentar para atender a demanda crescente da cidade, que deve ser ainda maior a partir de 2020, com o esperado aquecimento da economia.

São José chegou a ter média entre 4.000 e 5.000 novas unidades lançadas por ano, com aproximadamente 3.000 unidades vendidas.

Empresários cobram aprovação da Lei de Zoneamento para "atender a demanda"

No encontro do Secovi, o prefeito Felicio Ramuth (PSDB) foi cobrado sobre a aprovação da Lei de Zoneamento, considerada indispensável para a produção de imóveis. Felicio disse que o projeto será enviado à Câmara em julho e votado em agosto. "O encontro mostrou a perspectiva boa para 2020, mas precisamos da lei", disse Paulo Cunha, diretor do Secovi.