Logo Jornal OVALE

Em So Jos, consumidor teme crise do desemprego

Para 63% dos entrevistados em pesquisa da ACI/Unitau, o desemprego o maior desafio a ser vencido para a economia crescer; pesquisa tambm avaliou o governo Bolsonaro

Xandu [email protected] | @xandualves10

O consumidor de São José dos Campos aponta o desemprego como o maior problema para a economia. É o que mostra pesquisa da ACI (Associação Comercial e Industrial) de São José em parceria com a Unitau (Universidade de Taubaté), divulgada nesta terça-feira.

A pesquisa perguntou ao cidadão qual o principal problema da economia. Para 63,8% dos entrevistados, é o desemprego, seguido por falta de ações do governo (8,8%), taxa de juros (7,5%), inflação (6,5%) e falta de investimentos públicos (5,2%).

Não à toa, o número de 13 milhões de desempregados no país, segundo o IBGE, assusta muita gente e dificulta o crescimento econômico.

Segundo o Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério da Economia, São José dos Campos fechou o primeiro trimestre deste ano com fechamento de 88 postos de trabalho, com o comércio perdendo 579 empregos e a indústria, -172. O setor de serviços abriu 875 vagas.

OTIMISMO.

Mesmo com a sombra do desemprego, a pesquisa revelou um otimismo dos consumidores da cidade com a economia do país.

À pergunta sobre se a economia do país melhorou em 2019, 54,6% dos entrevistados disseram que sim, contra 26,8% que responderam não e 18,6% que não souberam opinar.

O levantamento é da Fapeti (Fundação de Apoio à Pesquisa, Tecnologia e Inovação) e ouviu 382 pessoas, de 23 a 26 de abril, em locais de grande circulação. A margem de erro é de 5 pontos percentuais.

Com relação à economia em 2019, 48,5% dos entrevistados se declararam otimistas e 29% disseram ter um otimismo moderado --somadas, as taxas de otimismo somam 77,5%--, contra 13,7% que afirmaram não ter expectativa, 5,5% que disseram estar pessimistas e 0,7% que declararam um pessimismo moderado --somadas, as taxas de péssimos dão 6,2%.

Sobre o que esperar do comportamento da economia em 2019 frente ao desempenho de 2018, 66,1% esperam um desempenho melhor, 19,2% acreditam em um desempenho igual e 7,8% aguardam um resultado pior. "Esse cenário, somadas as diversas respostas, mostra uma expectativa positiva do joseense em relação à economia do país em 2019", disse Humberto Dutra, presidente da ACI.

Governo Bolsonaro tem nota média 5 em São José

O levantamento da ACI (Associação Comercial e Industrial) de São José dos Campos em parceria com a Unitau (Universidade de Taubaté) mediu a aprovação do governo Jair Bolsonaro (PSL) em São José dos Campos, pedindo que os entrevistados dessem uma nota de zero a 10 à administração federal.

Foram entrevistadas 382 pessoas, entre 23 e 26 de abril, em locais de grande circulação na cidade.

Segundo a pesquisa, a nota que teve o maior número de citações foi 5, atribuída por 20,2% dos entrevistados, seguida pelas notas 4 (18,2%) e 6 (15,6%). As notas de zero a 4 somam 48,8% das respostas. As notas de 6 a 10 somam 30,9%.

POLÍTICA ECONÔMICA.

O resultado pode ter sido impactado pelas incertezas que ainda rondam o governo Bolsonaro, em razão das dificuldades em aprovar pautas consideradas importantes para a economia, como a Reforma da Previdência.

"Não há clareza de qual vai ser a política econômica. Há fala do Paulo Guedes [ministro da Economia] de linha mais liberal, mas não está claro. Temos três grupos dentro do governo disputando espaço. Não há cenário para avaliar", disse o economista.