Suspeito da morte de Henry, Jairinho tem prisão temporária decretada

Vitor Abdala | Agência Brasil

A Justiça decretou nesta quinta-feira (8) a prisão temporária do vereador do Rio de Janeiro, Jairo Souza Santos Junior, o Dr. Jairinho, suspeito da morte de seu enteado, o menino Henry Borel Medeiros, de 4 anos.

O menino morreu no dia 8 de março deste ano, no apartamento em Jairinho morava, na Barra da Tijuca. Também teve a prisão decretada a mãe do menino e namorada do parlamentar, Monique Medeiros.

Os dois foram presos na manhã desta quinta-feira em uma casa em Bangu, na zona oeste da cidade do Rio de Janeiro, e encaminhados para a delegacia de Polícia Civil da Barra da Tijuca.

O menino morreu no apartamento onde morava com a mãe e o padrasto, na Barra da Tijuca, depois de passar o fim de semana com o pai, Leniel Borel. Inicialmente, o caso foi tratado como morte acidental, mas a perícia encontrou indícios de agressão no corpo de Henry.

A defesa diz que Jairinho e Monique são inocentes e que “a justiça prevalecerá”. Desde que a polícia começou a investigar se Henry foi vítima de violência, o vereador e Monique criaram um site, onde afirmam que são inocentes.

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido, assistido, curtido e compartilhado. São mais de 23 milhões de visualizações por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação da edição impressa, revistas e suplementos especiais. E sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Seja livre, seja OVALE. Viva a democracia. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.