Ministério da Saúde propõe evento no Planalto na próxima terça para marcar início de vacinação

Agência O Globo | @jornalovale

O Ministério da Saúde propôs a realização de um evento na próxima terça-feira, no Palácio do Planalto, para marcar o início da vacinação contra a Covid-19 pelo governo federal.

Até o momento, no entanto, a solenidade não foi confirmada. A data seria a véspera do início da vacinação em todo o país, segundo a estimativa mais promissora propagada pelo ministro da Saúde, Eduardo Pazuello.

Junto ao presidente Jair Bolsonaro, a ideia neste momento ainda tinha status de "possibilidade" até a tarde desta quarta-feira. Nesta semana, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou que vai decidir no próximo domingo sobre os pedidos de autorização do uso emergencial das vacinas submetidas ao órgão. A data é o penúltimo dia do prazo estabelecido pela agência para avaliação dos pedidos.

Até o momento, apenas a Fiocruz e o Instituto Butantan solicitaram a autorização emergencial de uso para suas vacinas, a de Oxford e a CoronaVac, respectivamente. No entanto, a documentação apresentada pelo Butantan não estava completa, e o instituto ficou de enviar novos dados à agência, mas ainda não o fez.

Nesta quarta, o governo informou que um avião da empresa aérea Azul sairá do Brasil na noite desta quinta com destino à Mumbai, na Índia, para buscar 2 milhões de doses da vacina contra a Covid-19 da AstraZeneca/Oxford, adquiridas pelo Ministério da Saúde para "garantir o início da imunização dos brasileiros". A previsão é que a aeronave retorne no próximo sábado.

Ainda segundo a pasta, a vacina será distribuída aos estados em até cinco dias após o aval da Anvisa, e a vacinação ocorrerá de forma simultânea em todo o país. Em pronunciamento durante visita a Manaus, Pazuello garantiu que "vamos vacinar em janeiro".

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido, assistido, curtido e compartilhado. São mais de 23 milhões de visualizações por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação da edição impressa, revistas e suplementos especiais. E sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Seja livre, seja OVALE. Viva a democracia. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.