Juros do cheque especial sobem pelo segundo mês seguido em setembro

Agência O Globo |

A taxa de juros do cheque especial subiu pelo segundo mês seguido em setembro e atingiu 114,2% ao ano, de acordo com as estatísticas divulgadas nesta segunda-feira pelo Banco Central. Em agosto, a taxa estava em 112,9% ao ano.

Mesmo com o aumento, a taxa continua abaixo do teto de 151,8% ao ano (8% ao mês) para a modalidade imposto pelo Banco Central no início do ano. Em janeiro, mês de início da vigência do limite, os juros ficaram em 140,8%, ainda bem acima do registrado em setembro.

Durante todo o ano, a taxa se manteve abaixo do limite, mas durante os meses mais críticos da pandemia ela ficou ainda menor. Em fevereiro e março, meses que ainda não tinham impacto do coronavírus na economia, a taxa estava em 130,6% ao ano. Já em abril, mês mais agudo da crise, caiu para 119,6%. Era o início de quatro meses seguidos de quedas, período interrompido em agosto.

Já a taxa do cartão de crédito rotativo (quando o cliente não paga o valor integral da fatura até a data de vencimento teve um comportamento parecido, com três meses seguidos de queda, quando chegou a 273,8% ao ano, interrompidos por um crescimento em julho para 312%.

Em agosto a taxa voltou a cair, mas em um nível menor, para 310,2%. Comportamento parecido com o mês de setembro, que registrou pequena queda para 309,9%.

Inadimplência

O Banco Central também mostra que as taxas de inadimplência caíram pelo quarto mês seguido em setembro. Para pessoas físicas, a inadimplência estav em 2,4% em maio e atualmente está em 1,5%. Já para empresas, 1 ponto percentual no mesmo período, de 5,6% para 4,6%.

Especialistas apontam que essa queda é relacionada às medidas do Banco Central de fortelacimento do sistema financeiro e com ação das próprias instituições que, para evitar o não pagamento de dívidas, ofecereceram condições especiais durante a pandemia.

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 23 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.