Covid-19: média móvel volta a ficar acima de 500

Agência O Globo |

O Brasil alcançou o marco de 153 mil vidas perdidas para a Covid-19, mostra o boletim das 20h do consórcio de veículos de imprensa. Nesta sexta-feira, o país registrou 716 mortes, elevando para 153.229 os óbitos em causados pelo novo coronavírus. Foram contabilizados 30.574 novos casos da doença nas últimas 24 horas, elevando para 5.201.570 o número de infectados. 

Já a média móvel de mortes foi de 505, voltando a ficar acima de 500 após três dias. A "média móvel de 7 dias" faz uma média entre o número de mortes do dia e dos seis anteriores. Ela é comparada com média de duas semanas atrás para indicar se há tendência de alta, estabilidade ou queda. O cálculo é um recurso estatístico para conseguir enxergar a tendência dos dados abafando o "ruído" causado pelos finais de semana, quando a notificação de mortes se reduz por escassez de funcionários em plantão.

Há três estados com tendência de alta nas médias móveis de morte no país: Paraíba, Piauí e Rio Grande do Norte. O Distrito Federal e cinco estados estão em estabilidade: Alagoas, Maranhão, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Sergipe.

Há 18 estados em queda: Acre, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Paraná, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Rondônia, Roraima, Santa Catarina, São Paulo e Tocantins.

O consórcio de veículos de imprensa é formado por O GLOBO, Extra, G1, Folha de S.Paulo, UOL e O Estado de S. Paulo e reúne informações das secretarias estaduais de Saúde divulgadas diariamente até às 20h.

A iniciativa dos veículos da mídia foi criada a partir de inconsistências nos dados apresentados pelo Ministério da Saúde.

A pasta divulgou, no início desta noite, seu balanço que contabiliza 754 mortes por Covid-19, das quais 438 ocorreram nos últimos três dias. Sendo assim, o total de vidas perdidas para o novo coronavírus é de 153.214. Foram registrados 30.914 novos casos, elevando para 5.200.300 os infectados no país pelo Sars-CoV-2.

 

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 23 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.