Cerrado pode ficar sem monitoramento do desmatamento no fim do ano

Agência O Globo |

Ao lado do Pantanal e da Amazônia, afligidos por taxas alarmantes de queimadas e desmatamento, está outro bioma cuja conservação pode estar em risco. O Cerrado, que ocupa 24% do território nacional, deve perder no fim do ano seu programa oficial responsável por detectar e prevenir o desflorestamento e focos de incêndio.

O Programa de Incentivo Florestal (FIP, na sigla em inglês) é sustentado por uma doação de US$ 9,25 milhões feita pelo Banco Mundial (BM) ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI). O projeto, iniciado em 2016, deveria ser encerrado em 2019.

— Os trabalhos do FIP aumentam a inteligência que temos sobre nosso território, dão subsídios para projetos sobre mudanças climáticas, entre outras áreas. Suspender os seus recursos seria morrer na praia — diz Britaldo Soares Filho, professor do Departamento de Cartografia da UFMG.

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 23 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.