Mato Grosso pede Força Nacional no combate às queimadas no Pantanal

Agência O Globo |

O governador do Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM), enviou nesta segunda-feira ao Ministério da Justiça e Segurança Pública um ofício pedido o apoio da Força Nacional no combate às queimadas no Pantanal. O bioma enfrenta um desastre ambiental que já destruiu mais de 20% da sua cobertura vegetal.

No documento, Mendes afirma que o estado "vem enfrentando uma das piores ondas de incêndio dos últimos anos" e ressalta que o Pantanal é reconhecido como um "sítio de significativa importância ecológica por abrigar muitas espécies de peixes e aves aquáticas".

Mendes solicita o apoio da Força Nacional com a disponibilização de aeronaves especializadas e profissionais qualificados para atuar na região, no controle de focos de incêndio e extinção de queimadas.

Segundo o governo de Mato Grosso, o pedido ao ministro da Justiça, André Mendonça, já havia sido feito na semana passa por telefone. O secretário de Segurança Público do estado, Alexandre Bustamante, também fez uma solicitação em agosto deste ano.

Na terça-feira passada, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, admitiu que a situação tornou uma proporção "gigantesca" e que o prejuízo é grande. Salles disse que uma combinação de fatores como o clima seco,  o excesso de material orgânico e as restrições à utilização do fogo controlado causaram incêndios de maior proporção. Ele criticou a interrupção do fogo controlado, uma técnica centenária dos agricultores para limpar o pasto e o excesso de mato orgânico.

Levantamento do GLOBO indica que as áreas de pastagem plantadas no Pantanal mais do que triplicaram desde 1985, saltando de 656,5 mil hectares naquele ano para 2,25 milhões de hectares em 2019. O aumento é de 244%, superior ao registrado nos dois maiores biomas brasileiros, Amazônia e Cerrado, ao longo desses 34 anos. A extensão dessas terras é superior ao tamanho de Sergipe.

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 23 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.