Desmatamento: Mourão quer levar embaixadores europeus à Amazônia em outubro

Agência O Globo |

Após receber carta de países europeus preocupados com o desmatamento da floresta amazônica, o vice-presidente Hamilton Mourão afirmou nesta quarta-feira que pretende levar embaixadores europeus e de outros países à região.

O documento, em que países afirmam que o aumento no desmatamento dificulta a compra de produtos brasileiros por consumidores europeus, foi enviado na terça-feira pela Parceria das Declarações de Amsterdã, grupo formado por Alemanha, que atualmente preside a organização, Dinamarca, França, Itália, Holanda, Noruega e Reino Unido.

Segundo Mourão, o Itamaraty vai conversar com o embaixador alemão e, caso seja necessário, com os representantes de outros países que compõem o grupo.

"Na carta, eles colocam os representantes deles à disposição para o diálogo, aí nós estamos planejando aquela viagem à Amazônia. Vai ser  feita no final de outubro", explicou, acrescentando que a ideia é levar embaixadores de outros países, além dos que integram a Parceria, para não "ficar uma coisa tendenciosa".

O vice-presidente disse que a carta teve teor semelhante a outras já recebidas pelo governo brasileiro nos últimos meses. Segundo ele, o documento não tem "um tom agressivo, nada disso".

"Isso não são investidores. São países. Vocês têm que entender o seguinte: faz parte da estratégia comercial dos países europeus esta questão da cadeia de suprimentos. Isso é uma barreira. Existem barreiras tarifárias e não-tarifárias, então, isso daí a gente tem que fazer a negociação não só comercial, mas diplomática, como ambiental também", comentou.

Mourão também comentou a carta recebida pelo governo brasileiro elaborada por representantes do agronegócio, setor financeiro e de ONGs de defesa do meio ambiente. O vice-presidente disse que conversou com o grupo e que os pontos colocados na carta são "importantes".

"Os pontos que  eles estão colocando ali são pontos importantes, principalmente o número um, que é a questão da recuperação da capacidade operacional, ele toca especificamente Ibama, ICMBio e Funai. O ministro Salles  já está trabalhando nisso", afirmou.

Ele disse ainda que vai se reunir com o diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) na tarde de hoje. Ontem, Mourão afirmou que um "opositor" do governo dentro do instituto estava divulgando dados negativos do desmatamento.

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 23 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.