GUERRA CONTRA A POLCIA

Jos Vicente da Silva Filho Coronel reformado da Polcia Militar do Estado de So Paulo |

ex-Secretrio Nacional de Segurana Pblica e mestre em Psicologia Social pela USP |

A morte do negro George Floyd na cidade de Minneapolis pela ao estpida de um policial branco, provocou manifestaes contra o racismo e tambm contra as polcias americanas em geral, como se aquele fato isolado representasse a verdadeira face da polcia, racista, cruel e despreparada. No bem assim. Nos confrontos das polcias americanas com suspeitos, 36,8% das mortes so de brancos e 23,4% de negros. Alguns prefeitos, como o de Nova York, planejam cortar parte do oramento da polcia e investir em aes sociais. Medidas sociais sempre ajudam, mas, historicamente, fracassam quando pretendem substituir o trabalho preventivo da polcia e a violncia acaba recrudescendo. A polcia americana, no geral, muito eficiente, atua dentro da lei, e nos ltimos 30 anos foi o principal fator na reduo da violncia no pas.

Essa narrativa antipolcia costuma produzir o efeito inverso. Sob vigilncia mais crtica da sociedade, a polcia prefere evitar exposio excessiva, ou seja, ir menos aos bairros onde se concentram minorias, abordaro menos suspeitos para evitar acusaes de racismo e reduzir sua presena preventiva nas ruas. Aps o incidente com a morte de um jovem negro em Ferguson em 2014 e o mpeto do movimento Black Lives Matter, os assassinatos de negros nos anos seguintes -2015 e 2016 - foram os maiores num retrospecto de 50 anos.

No h como dissociar o ataque polcia americana com o que ocorre no Brasil com as crticas sistemticas s polcias brasileiras. Mas no h substituto para o duro trabalho dos policiais, principalmente para os policiais militares que esto mais expostos nas ruas, tanto violncia como ao coronavrus. A experincia nossa, assim como a americana, mostra que enfraquecer a polcia automaticamente fortalece os predadores nas ruas. Vamos a um exemplo dramtico. Em novembro de 1992 um contingente de choque da PM invadiu o presdio do Carandiru numa ao desastrada que resultou na morte de 111 presos e acarretou crticas generalizadas e por longo perodo, no s quela tropa envolvida na ao, mas para toda a PM. No ano seguinte, 1993, os efeitos da desmotivao comearam com a queda continuada da apreenso de armas que resulta de abordagens de suspeitos e prises. A barbrie j tinha farejado o enfraquecimento da fora policial e botou a violncia nas ruas: quando a apreenso de armas caiu 33%, dois anos depois, os homicdios aumentaram 49,9%. Seis anos depois tinham aumentado 160%.

Nossa "guerra" contra os criminosos e a favor da nossa fora policial. Desrespeitar, critic-los injustamente e humilh-los enfraquecer seu entusiasmo e sua fora para nos proteger..

Assinar OVALE

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi to lido. So mais de 23 milhes de acessos por ms apenas nas plataformas digitais, alm da publicao de quatro edies impressas por dia. O importante que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem lder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crtico, plural, moderno e apartidrio. Informao com credibilidade, imprescindvel para a construo de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notcia a verdade. E ns assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalstica da regio.