Estudo francês que listava benefícios da hidroxicloroquina contra a Covid-19 é retirado do ar pelos próprios autores

Agência O Globo |

Um estudo francês que dissera ter encontrado benefícios da hidroxicloroquina combinada ao antibiótico azitromicina no tratamento da Covid-19 foi retirado por seus próprios autores.

Trata-se de uma das pesquisas de maior repercussão sobre o assunto, que ganhou popularidade ao ser difundida pela Fox News nos EUA. O médico francês Didier Raoult, o maior defensor da cloroquina e da hidroxicloroquina contra o coronavírus, havia tuitado a pesquisa, classificando-a como "muito boa".

No Brasil, ela foi amplamente difundida em redes sociais, inclusive para pressionar o então ministro da Saúde, Nelson Teich, a liberar o uso amplo de cloroquina e hidroxicloroquina no tratamento da Covid-19, com hashtags como #TeichLiberaCloroquina. O ministro acabou deixando o cargo.

A pesquisa intitulada "Hidroxicloroquina mais azitromicina: potencial em reduzir a morbidade em hospital da pneumonia Covid-19"  foi realizada por uma equipe do Hospital Raymond-Poincaré e liderada pelo médico Benjamin Davido.

Na verdade, o trabalho em questão jamais foi publicado em revista científica com revisão por pares - o processo normal de publicação em ciência. Ele havia sido apenas postado, em 11 de maio, no repositório de pesquisas medRxiv, de onde os próprios autores o retiraram nesta sexta-feira.

No lugar do estudo, agora há somente a mensagem: "Os autores retiraram este manuscrito e não querem que seja citado. Devido à controvérsia sobre a hidroxicloroquina e à natureza retrospectiva de seu estudo, eles pretendem revisar o manuscrito depois da revisão por pares".

Não ficou claro por que os autores recolheram seu estudo. Davido, o principal autor, também não se pronunciou.

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 23 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.