Inep pode reduzir Enem ou dobrar o número de salas

Agência O Globo |

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) trabalha com dois cenários para a realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O primeiro, que ainda não tem muita adesão dentro do órgão, seria a redução do número de itens para que a prova seja realizada em apenas um dia. A equipe do Inep avalia cenários que giram de 25 a 35 questões por área. Atualmente são 45 para cada uma das quatro áreas: Linguagens, Matemática, Ciências Humanas e Ciências da Natureza, além da redação. Um dos entraves para esse modelo é que os estudantes seriam submetidos a um tempo extenuante de prova.

Já o segundo cenário prevê medidas de contenção durante a aplicação da prova, como reduzir o número de estudantes dentro de sala de aula pela metade e utilizar máscaras e álcool em gel. O que emperra a aplicação desse segundo modelo, no entanto, é a logística para ter espaço disponível, principalmente nas cidades do interior, uma vez que o número necessário de salas seria dobrado.

Repercussão: Entidades estudantis comemoram o adiamento do Enem

As possibilidades ainda estão sendo avaliadas pela área técnica do órgão, que também ainda não definiu a nova data da prova após o adiamento por um período de 30 a 60 dias. Inicialmente, o Enem seria aplicado a partir de 1º de novembro.

Nesta sexta, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, anunciou que o prazo das inscrições foi estendido até quarta-feira (27), com os boletos podendo ser pagos até o dia seguinte. Segundo ele, 4.637.801 inscrições já foram feitas.

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 23 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.