Coronavírus mata mais que diabetes, câncer de mama e AVC por dia no Brasil

Agência O Globo |

Ao chegar à marca de 20.047 mortes em 65 dias, a Covid-19 se tornou a terceira doença mais letal do Brasil, atrás apenas de todos os tipos de câncer juntos e da doença isquêmica do coração. O novo coronavírus fez mais vítimas por dia do que diabetes mellitius, câncer de mama e doenças cerebrovasculares, como AVC, de acordo com dados do DataSUS referentes ao ano de 2018, o mais recente disponível na plataforma do Ministério da Saúde.

A doença causada pelo novo coronavírus provocou, em média, 308,41 mortes por dia, desde a primeira vítima fatal, em 17 de março. As informações do DataSUS mostram que nos 365 dias de 2018, todas as neoplasias juntas foram responsáveis por 624,43 mortes diárias, enquanto que a doença isquêmica do coração vitimou 315,94 pessoas todos os dias.

A Covid-19 já tirou mais vidas por dia do que o câncer de mama (48,14 vítimas diárias em 2018), o diabetes mellitus (178,39) e as doenças cerebrovasculares, dentre as quais estão os acidentes vasculares cerebrais (AVC).

"Por ser uma doença nova, causou muitas mortes em nosso país em um curto espaço de tempo. A falta de diagnóstico e acompanhamento precoce destes pacientes podem ter sido responsáveis, em parte, por essas mortes tão exageradas pela Covid-19", afirma Edimilson Migowski, infectologista da UFRJ.

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 23 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.