Bolsonaro exalta cloroquina, defende alinhamento de ministros e diz que brasileiro quer voltar ao trabalho

Presidente parabenizou mdicos por uso do composto e voltou a dizer que responsabilidade dos decretos de isolamentos so dos governadores: "Tenho certeza que a grande maioria dos brasileiros quer voltar a trabalhar. Essa foi sempre minha orientao para todos os ministros"

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a defender o uso da hidroxicloroquina para tratamento do novo coronavírus, defendeu um alinhamento dos ministros de seu governo e disse que os brasileiros querem voltar ao trabalho normalmente.

Em pronunciamento oficial na noite desta terça-feira, Bolsonaro falou novamente sobre sua preferência pelo uso da hidroxicloroquina, após ouvir 'médicos, pesquisadores e chefes de estado de outros países'. O presidente citou a conversa com o médico cardiologista Roberto Kalil que afirmou que usou o medicamento e também o prescreveu para dezenas de pacientes. “Todos estão salvos. Disse-me mais: que, mesmo não tendo finalizado o protocolo de testes, ministrou o medicamento agora, para não se arrepender no futuro. Essa decisão poderá entrar para a história como tendo salvo milhares de vidas no Brasil. Nossos parabéns ao doutor Kalil”, comentou. Ele disse que o Brasil irá receber da Índia, até sábado, matéria-prima para produzir a hidroxicloroquina.

O presidente também afirmou que o objetivo principal do governo é 'salvar vidas' e que seus ministros devem estar alinhados com ele. "Tenho responsabilidade de decidir sobre as questões do país de forma ampla, usando a equipe de ministros que escolhi. Todos devem estar sintonizados comigo", afirmou.

Bolsonaro voltou a criticar os decretos de isolamento social nos estados do país, afirmando que são de responsabilidade exclusiva dos governantes e que o governo federal não foi consultado. "Respeito a autonomia dos governadores e prefeitos. Muitas medidas, de forma restritiva ou não, são de responsabilidade exclusiva dos mesmos [...] Tenho certeza que a grande maioria dos brasileiros quer voltar a trabalhar. Essa foi sempre minha orientação para todos os ministros", disse. "Sempre afirmei que tinhamos dois problemas: o vírus e o desemprego, que deveriam ser tratados simultaneamente. [...] As soluções não podem ser mais danosas. O desemprego leva à fome, à miséria, à morte", afirmou, no pronunciamento.

Assinar OVALE

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi to lido. So mais de 8,5 milhes de acessos por ms apenas nas plataformas digitais, alm da publicao de quatro edies impressas por dia. O importante que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem lder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crtico, plural, moderno e apartidrio. Informao com credibilidade, imprescindvel para a construo de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notcia a verdade. E ns assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalstica da regio.