Doria manda recado a Bolsonaro: 'Respeite a medicina'

Governador critica ataques nas redes sociais sofridos por médicos de São Paulo

Em novo capítulo do embate com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), mandou um recado ao presidente durante entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista, nesta quarta-feira (8).

“Presidente, quando o senhor precisou salvar a sua vida veio para São Paulo, e foi atendido pelos médicos que fazem parte da equipe do David Uip [coordenador do Centro de Contingência do Coronavírus]. Foram esses médicos que salvaram a sua vida, e o senhor agradeceu naquela ocasião”, disse Doria.

E continuou: “São esses médicos que estão ajudando a salvar milhões de brasileiros. Respeite a medicina, seu presidente, respeite os médicos. O senhor pode precisar deles novamente”.

Doria defendeu Uip e o médico Roberto Kalil que foram criticados pelo presidente nas redes sociais.

Em postagem no Twitter, Bolsonaro fez menção a ambos ao defender o uso da hidroxicloroquina no tratamento da Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

"Dois renomados médicos no Brasil se recusaram a divulgar o que os curou da Covid-19. Seriam questões políticas, já que um pertence à equipe do governador de SP?", questionou Bolsonaro.

Uip foi recentemente contaminado pelo vírus e se curou, mas não revelou o tratamento. "Não faço isso para esconder nada, mas não quero transformar meu caso em modelo para coisa alguma", disse.

Na coletiva, Doria disse que médicos e profissionais de saúde vêm sendo perseguidos nas redes sociais, com ataques à reputação. Ele deu como exemplo o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, e o próprio Uip.

“Que país é esse que o confronto pelas redes sociais é feito para destruir a reputação das pessoas? Atacaram o Mandetta, o David Uip, o Roberto Kalil, e agora por uma milícia digital são emparedados na tentativa de destruir a reputação. Outros estão sofrendo com isso. Meu repúdio a esse tipo de atitude.”

“Não foi nenhum médico que disse e afirmou várias vezes que a gravíssima epidemia é uma gripezinha ou um resfriadozinho. Nenhum médico disso isso”, afirmou Doria, alfinetando o presidente, que comparou o coronavírus a uma ‘gripezinha’.

“Precisamos de paz e não confronto. Atacar médicos não salva a vida de ninguém, e ainda contribuiu para aumentar o número de pessoas que perdem a vida no país.”

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 8,5 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.