Contrapartida terá o seguro-desemprego como teto, diz Bianco

VALORES. A nova Medida Provisória nº 936, conhecida como MP Trabalhista, permite a redução de jornada e de salários em até 70%, prevê que o governo conceda uma compensação referente à redução da jornada, mas o valor está limitado ao teto do seguro-desemprego e não do salário do trabalhador, de acordo com o secretário especial de Previdência do Ministério da Economia, Bruno Bianco.

"Todos os empregados terão pagamento do complemento na proporção da redução da jornada ou do salário", afirmou o secretário durante apresentação dos secretários da pasta, nesta quinta-feira (02/04), no Palácio do Planalto. A fala dos técnicos da pasta não teve direito a perguntas dos jornalistas que foram pegos de surpresa e não foram avisados.

"Caso a empresa opte por reduzir a jornada em 50%, essa pessoa vai trabalhar 50% a menos e, portanto, o salário dele será reduzido em 50%, consequentemente. O governo entrará com 50% do valor relativo ao seguro-desemprego", explicou Bianco. O teto do seguro desemprego é de R$ 1,8 mil. Logo, nesse caso, o valor que o governo pagaria ao trabalhador seria de R$ 900. "Sempre o trabalhador que tiver redução e a jornada, e ao trabalhar menos, receberá proporcionalmente menos", completou..

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 8,5 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.