Diretor da OMS rejeita insinuações de Bolsonaro sobre fim do isolamento

REAÇÃO. A OMS rejeitou insinuações por parte do governo de Jair Bolsonaro de que tenha apoiado a ideia de que políticas de isolamento não devam ser aplicadas. Na segunda, o diretor-geral Tedros Adhanom Ghebreyesus, usou sua coletiva em Genebra para convocar os países a também lidar com os mais pobres. Na manhã desta terça, Bolsonaro usou a frase para justificar sua política de rejeição de medidas de isolamento. Tedros, porém, não se referia a isso. Mas sim à necessidade de que instrumentos sejam criados para garantir o sustento dessas pessoas, por medidas sociais e transferência de recursos. Diante da polêmica, a OMS decidiu ir de maneira deliberada às redes sociais nesta terça. Ainda que não cite expressamente o nome do brasileiro, a entidade decidiu esclarecer seu posicionamento..

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 8,5 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.