Maia pede MP que assegura renda em suspensão de contrato

REAÇÃO. O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou nesta terça-feira que esperará até esta quarta que o governo envie ao Congresso medida provisória sobre a suspensão do contrato de trabalho. A medida é aguardada para resguardar trabalhadores com carteira assinada durante o período de pandemia do novo coronavírus.

Até o momento, apenas trabalhadores autônomos e informais estão inseridos em ações de emergência. Segundo Maia, se o governo federal não enviar a proposta, a Câmara apresentará um texto próprio e deve votá-lo a até o fim desta semana. "Se até amanhã (quarta) de manhã o governo não encaminhar, vamos tratar do tema para votar até sexta feira. Não pode passar desta semana", afirmou Maia. "A informação que eu tenho é que o governo encaminharia [a MP] hoje (quarta) e a partir de amanhã [já poderíamos] começar a debater um projeto de deputado. [No entanto], sendo uma MP, tem efeito imediato. Será ótimo, a gente faz as mudanças".

Ele também cobrou do governo a sanção imediata do projeto aprovado pelo Senado de renda mínima de R$ 600 para trabalhadores informais por três meses. Na tarde desta terça, Onyx Lorenzoni, ministro da Cidadania, disse que pagamentos devem começar dia 10 de abril..

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 8,5 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.