EUA tem cerca de 70 mil casos e mais de 1.000 mortes

Agêncaia Brasil | [email protected]

Os Estados Unidos (EUA) registraram nessa quarta-feira (25) 1.031 mortes causadas pelo novo coronavírus, de acordo com dados da Universidade norte-americana Johns Hopkins.

São 68.572 casos da doença, o que coloca o país em terceiro lugar, logo atrás de Itália e da China, em relação ao número de infectados.

Algumas horas antes, o número de mortes era 827.

Nova Iorque é um dos estados mais atingidos, com 280 mortes na cidade de Nova Iorque desde o início da epidemia em dezembro, no centro da China.

De acordo com números encaminhados, no início do mês, ao Congresso norte-americano, entre 70 milhões e 150 milhões de pessoas poderão ser infectadas nos Estados Unidos, que tem aproximadamente 327 milhões de habitantes.

O Senado norte-americano aprovou um plano histórico de US$ 2 trilhões de apoio à primeira economia mundial, asfixiada pela pandemia de covid-19.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia de covid-19, já infectou perto de 450 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 20 mil.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar situação de pandemia.

O Continente europeu, com cerca de 240 mil infectados, é onde surge atualmente o maior número de casos, e a Itália é o país do mundo com maior número de mortes - 7.503 em 74.386 casos registrados até hoje.

Vários países adotaram medidas excepcionais, incluindo o regime de quarentena e o fechamento de fronteiras.

*Emissora pública de televisão de Portugal

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 7,5 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.