Após decisão do STF, defesa pede soltura imediata de Lula

Após a decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) que passou a proibir prisão após condenação em segunda instância, a defesa de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) pediu nesta sexta-feira (8) à Justiça que o ex-presidente deixe a prisão imediatamente. A decisão caberá à juíza Carolina Lebbos, que não tem prazo para decidir a respeito do pedido.

Na petição, a defesa de Lula salienta que ele se enquadra no novo entendimento do STF, ou seja, de que só pode haver prisão após trânsito em julgado da condenação, além de que o petista não estaria preso preventivamente. “Torna-se imperioso dar-se imediato cumprimento à decisão emanada da Suprema Corte”, afirmam os advogados.

Após receber o pedido, a juíza pode tomar uma decisão por conta própria ou ainda solicitar um posicionamento da força-tarefa da Operação Lava Jato no MPF (Ministério Público Federal) -- o que pode fazer com que ele permaneça preso por mais alguns dias.

Antes de protocolar o pedido no processo, o advogado se reuniu com o ex-presidente na sala onde ele está detido na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba. Lula cumpre pena desde 7 de abril de 2018 por conta do caso do tríplex. A condenação já foi confirmada pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça), mas ainda não foi analisada pelo STF.

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 7,5 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.