Merenda continua sendo entregue nas escolas públicas

Time de merendeiras é composto por cerca de 280 profissionais

Paula Maria Prado @paulamariaprado |

Maria Inês Vilas Boas, 53 anos, acorda todos os dias às 4h30. No inverno, o frio chega a doer os ossos. Mas ela acorda feliz. Funcionária pública há 20 anos, ela é uma das mulheres mais requisitadas atualmente na escola municipal de ensino fundamental Prof. Hélio Walter Bevilacqua, no Jardim República, zona sul de São José dos Campos. Merendeira, é das mãos delas e de mais duas cozinheiras que saem diariamente as marmitas que alimentam os alunos da rede municipal de ensino.

Às 6h ela já está na escola. Então a maratona começa. Corta aqui, tempera ali, higieniza acolá… Às 10h tudo tem de estar pronto: logo os pais dos alunos começam a chegar. A fila segue até às 13h. “Mas sempre tem um atrasadinho”, brinca Maria com seu bom humor característico.

Com o objetivo de ajudar as famílias que mais precisam, principalmente nesse momento de isolamento social, a Secretaria de Educação passou a distribuir as merendas no dia 23 de março, assim que as aulas foram suspensas. Ou seja, mesmo com o período de férias, as escolas municipais estão abertas para pais ou responsáveis retirarem a merenda escolar para alunos devidamente matriculados na rede municipal.

A merenda é composta por uma refeição completa, uma sobremesa e um suco. O intuito é fortalecer o sistema imunológico dos alunos. “Fazemos, em média, 210 marmitas. Já sabemos a quantidade certinha de alimento para não ter sobra”, conta a merendeira que tem um nobre hábito: depois que todo o mundo pegou seu prato de comida é que ela senta para, enfim, almoçar.

“É a hora que ‘relaxo’”, conta. “É cansativo, claro. São oito horas por dia na frente do fogão. Mas vale cada minuto ao ver as pessoas pegando a sua comida, depois elogiando-a e agradecendo pelo alimento… Os temperos são esses: boa vontade e uma dose generosa de amor”, se emociona. Além dela, a prefeitura de São José possui um time de 280 merendeiras que estão nessa força tarefa de alimentar os alunos.

Cidades.

Em Taubaté são entregues, em média, 13 mil marmitas por dia. Por lá o time de merendeiras é composto por 175 profissionais. No cardápio: arroz e feijão ou macarrão, salada e uma proteína ou sobremesa. A entrega teve início no dia 31 de março. Já em Jacareí, a prefeitura optou por entregar um voucher no valor de R$ 100 por mês para crianças matriculadas nas creches municipais e conveniadas com o município (berçário e maternal), e R$ 60 por mês para alunos da Educação Infantil (Pré I e Pré II), da Educação Fundamental (1º ao 5º ano) e do EJA – Educação de Jovens e Adultos (1º ao 5º ano). O investimento previsto é de cerca de R$ 1,5 milhão 

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 23 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.