Logo Jornal OVALE

De videogame a cueca, saiba o que j foi encontrado nos "achados e perdidos" da cidade

Os itens ficam disponveis para retirada por 90 dias. Depois, com exceo dos documentos, so descartados ou doados a entidades assistenciais

Brbara Monteiro | @Barbara_Ovale

“Só não esquece a cabeça porque está grudada no pescoço!”. Tem gente que já ouviu tanto essa frase que virou “mantra”. A vendedora Tamires Adrielle dos Santos Lima, 29 anos, que o diga! A jovem de São José conseguiu perder no ônibus a sacola de lingerie novinhas que comprou para a sua avó. Virou, claro, piada entre amigos e familiares.

“Minha avó estava com as lingeries já bem velhinhas, então resolvi sair com ela para presenteá-la com peças novas. Fomos ao Centro, compramos algumas calcinhas e uns três sutiãs. A compra, aliás, ficou cara. Aproveitamos o passeio para passar no Mercadão, comemos um pastel e depois seguimos para a Rodoviária Velha para pegar o ônibus e voltar para casa”, contou.

“Acho que naquele dia estava com sono, desci ‘meio dormindo’ do transporte, sei que esqueci as roupas íntimas no banco”, ri. “Cheguei a ligar na companhia de ônibus, mas me informaram que não encontraram a tal sacola”. Moral da história? “Nunca mais carreguei sacolas de presentes da família”, diverte-se.

Perder uma sacola de lingerie é fichinha diante das pérolas encontradas nas centrais de Achados e Perdidos de São José. O shopping Vale Sul lidera o ranking, com cerca de 415 itens recolhidos por mês. O Centervale vem na sequência, com média de 310 itens por mês. Fechando o ranking, o Colinas, com média de 180 por mês, e a Rodoviária Intermunicipal, com média de 60 objetos perdidos por mês.

Cafeteiras, carrinho de entrega de mercadorias, aparelho dentário móvel e, (pasmem!) cadeira de rodas estão entre os inusitados itens encontrados. O Vale Sul registrou em sua central até um vaso sanitário, esquecido no corredor do centro de compras. Por lá, até o mês de maio foram achados 2.075 objetos. No CenterVale, uma cafeteira antiga, tripé de câmera fotográfica e um saco de feijão já foram encontrados.

Mas os itens mais comuns são cartões de banco, celulares, documentos, óculos, guarda-chuva, chaves, fraldas de pano e chupetas. Neste ano, até o final de maio, 1.549 objetos foram encontrados, destes, 581 devolvidos. Já no Colinas, até o mês de junho foram registrados 1.078 itens perdidos, 436 devolvidos aos seus donos. Entre as “pérolas” estão marmitex, salgados congelados, retrovisor de caminhão, documento judicial de liberdade provisória, cachaça e até uma sacola com preservativos e lubrificantes.

DEVOLUÇÃO

Normalmente, os itens ficam disponíveis por 90 dias. Depois, com exceção dos documentos, são descartados ou doados a entidades assistenciais. É assim no Terminal Municipal, segundo Daniel Esteves, coordenador operacional da empresa Sinart (Sociedade Nacional de Apoio Rodoviário e Turístico Ltda.), que gerencia o espaço.

“Quando os itens chegam à central, passam por uma triagem, em que são separados objetos, valores e documentos que podem indicar formas de contato com o proprietário por telefone, e-mail ou carta. Depois, os objetos são cadastrados e guardados”, afirmou ele.

“Ao longo dos 90 dias, os funcionários atuam para achar o dono e, quando estes não são localizados, os objetos são encaminhados para o Fundo Social de Solidariedade dos municípios ou é realizado o descarte”, continuou. Em nota, o Vale Sul Shopping informou que antes de os objetos serem retirados é seguido um procedimento. “Sempre solicitamos um detalhamento de cada item e, caso esteja no SAC, o cliente deve apresentar um documento com foto, assinar um livro para comprovar que retirou o objeto e deixar um telefone para contato”.

No Colinas, depois dos 90 dias, documentos e cartões são triturados e descartados e os demais itens doados a entidades assistenciais. Esse é o mesmo prazo de armazenamento utilizado pelo CenterVale. “Após o período os itens são doados à creche Anália Franco”, afirmou Julio César Ferreira, gerente de operações do centro de compras.

 DOCUMENTOS

Os Correios também oferecem o “Achados e Perdidos”. Em São José dos Campos, o serviço está disponível na agência central, localizada na av. Dr. Nelson D’Ávila, 90, Centro. O horário de atendimento é de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h. Atualmente, a unidade tem à disposição para retirada 279 documentos. A procura pelos itens é baixa.

Em 2019, de janeiro a maio, foram retirados ao todo apenas nove deles pelos seus titulares. A agência informa que aqueles que encontrarem documentos de terceiros podem depositá-los no guichê de qualquer posto dos Correios ou em caixas de coleta. Uma vez recebidos, os itens são acondicionados em envelopes e guardados, ficando disponíveis para retirada durante 60 dias.