Dois anos sabáticos

Depois de atuar por 10 anos no mercado financeiro, num ambiente rígido e raras oportunidades de viajar e se desconectar do trabalho, Júlia Junqueira programou seu ano sabático, período de reconexão com o mundo e com ela mesma. Como ela mesmo disse nesta entrevista, com pouco tempo para fazer qualquer coisa que fosse diferente de estudar ou trabalhar, percebeu que se eu continuasse ali juntaria mais dinheiro e teria a segurança que ele traz, mas me sentiria uma prisioneira.

"Minha filosofia é buscar manter a mente limpa e concentrada para facilitar ter clareza, calma e tranquilidade na minha vida. Entendo que a percepção equivocada das coisas pode causar muito stress e confusão interna e externamente, por isso procuro meditar e buscar momentos de silêncio durante o dia. Sinto que isso me ajuda a perceber o mundo e a mim mesma com mais nitidez, inteligência e bondade", contou Júlia.

Para que pudesse realizar seu ano sabático, passou dois anos organizando as ideias e planejando. Fez sessões de coaching que a ajudaram a enxergar que já tinha uma reserva financeira suficiente para permitir que parasse de trabalhar por um tempo e a ter a confiança e a coragem para ir atrás do que eu queria.

"Fiz dois sabáticos, o primeiro em 2014 logo que saí do mercado financeiro, e o segundo em 2018. No primeiro fiz muita festa, fui a muitos festivais de música pelo mundo, tudo muito divertido e sem grandes objetivos. O segundo foi focado em crescimento pessoal. Passei dois meses em um monastério budista, aprendi a tocar um instrumento musical (o violão), fiz um trekking de uma semana em elevada altitude pelos Himalaias, uma experiência física e psicologicamente muito desafiadora", disse.

"A experiência contou com o acompanhamento de terapeutas e cientistas em parceria com a Imperial College London, uma das instituição acadêmicas pioneiras na pesquisa do uso de substâncias psicodélicas em ambiente terapêutico e seu impacto revolucionário no campo da neurociência, psiquiatria e exploração da consciência. Fiz também um retiro de tantra com meu companheiro, uma experiência absolutamente transformadora para nós dois", disse..

 

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 23 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.