Fasano: luxo e tradição Italiana

Kadu Giacomini |

Antes mesmo de chegar eu já estava animado por conhecer esta joia clássica de São Paulo e nem poderia imaginar o que estaria por trás da porta, até que discreta, para o lobby de um hotel, que ao abrir me impressionou.

A história do Fasano começa em 1902, quando Vittorio Fasano, italiano de Milão e patriarca da família, chega ao Brasil e inaugura a Brasserie Paulista, na Praça Antônio Prado, no centro de São Paulo.

Em 1937, o legado gastronômico da família foi reinaugurado por Ruggero, filho mais novo de Vittorio, o Fasano na Rua Vieira de Carvalho, também no centro da cidade. Uma curiosidade é que na época, a família já teve a confeitaria Fasano, na Rua Barão de Itapetininga, um dos locais mais frequentados pela alta sociedade paulistana para os tradicionais chás da tarde.

Em 1982, Fabrizio Fasano, filho de Ruggero, convoca Rogério Fasano, seu filho, da quarta geração, para abrir um novo restaurante no Shopping Eldorado, para um público em busca de requinte. A ideia seria apostar no que eles diziam ser “a maturidade gastronômica da cidade”. Um novo Fasano, pequeno e em versão mais requintada, surge na Rua Amauri.

Depois de três anos, o restaurante se transfere para Rua Haddock Lobo e em 2003, com a abertura do Hotel Fasano São Paulo, ele se transfere para sua casa atual, na rua Vittorio Fasano localizada no Jardins.

Entendem minha admiração agora? Desde a entrada é impossível não se encantar pelo atendimento impecável e pelo luxo do ambiente imponente com mármore, couro e madeiras em pé-direito alto, tudo muito clássico, mas moderno ao mesmo tempo.

Uma decoração atemporal, eu destacaria.

Parecia cena de filme toda aquela movimentação de garçons com smoking pelo restaurante em meio a pratos lindos.

O menu tradicional inclui caviar, foie gras, cortes nobres de carne, peixes e frutos do mar fresquíssimos com uma carta de vinhos de altíssimo padrão.

Posso te garantir que ali o bolso é o limite e a cereja do bolo fica com o pianista tocando ao vivo. Uma verdadeira poesia.

Este não é um restaurante de chef gourmet como o D.O.M (Chef Alex Atala) ou EVVAI (Chef Luiz Felipe Souza), mas mantém a tradição Italiana familiar mantendo o padrão de qualidade supervisionado por Rogério Fasano.

Aliás, a cozinha já foi comandada por três experientes chefs italianos ao logo desses 31 anos, mas todos os pratos só entram no cardápio com a aprovação do Rogério.

O atual chef toscano, Luca Gozzani, já estava no comando do Fasano Al Mare, filial carioca do grupo e, com a chegada ao Fasano São Paulo, incorporou ao cardápio novas criações que trazem mais protagonismo aos frutos do mar para o menu-degustação.

Macaque in the trees
Fasano

VAI PELA PRIMEIRA VEZ?

Minha dica é que você invista em um dos dois menus-degustação oferecidos.

Um deles é dedicado aos peixes, assinado pelo chef Luca, que termina com a sua versão do clássico Tiramisù montado na hora; o outro com carnes (vitela, linguiça e cordeiro).

Caso você não seja muito familiarizado com vinhos, não tenha medo de pagar mico e peça para o sommelier harmonizar o menu com as opções apropriadas.

Agora, se você já conheceu os menus, sinta-se livre para passear pelo variado cardápio com entradas, massas, risotti, peixes, carnes e sobremesas, tudo impecavelmente preparado.

Não deixe de pedir os pães, que chegam quentinhos à mesa, e os grissini servidos no couvert.

Macaque in the trees
Fasano

MINHA RESENHA FINAL.

É um lugar elegante e sofisticado para saborear a melhor comida italiana. Toda a configuração é clássica com o interior deslumbrante. Os garçons bem uniformizados e elegantes sabem exatamente o que estão fazendo com um atendimento profissional e amigável. A comida é excelente! Muito saborosa e bem apresentada para ser apreciada com uma vasta opção de vinhos na carta enorme.

A vibração é internacional e sofisticada, um lugar perfeito para um jantar em uma ocasião especial.

NOVIDADE.

O Fasano tem uma novidade quentinha em seu cardápio, apostando em uma experiência mais rústica, o Piatti Per Due Costine Di Wagyu e Glassate All Origano e Pure Di Patapa (Costela de Wagyu grelhada, glaceada no orégano e puré de batata com queijo minas), por R$ 380,

A costela de Wagyu longamente cozida que chega em um molho escuro e espesso - o maître faz questão de cortar com a colher, para atestar a maciez da carne.

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 23 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.