Especialistas apontam cuidados e moderação no uso de redes sociais para casais em quarentena

Marcos Eduardo Carvalho @marcosovale78 | @jornalovale

A pandemia do novo coronavírus criou, ou melhor, acentuou uma tendência dos últimos anos do mundo moderno: o aumento do uso das redes sociais. Sem poder sair de casa, a maioria das pessoas tem a internet como recurso principal. No caso dos casais que vivem juntos, isso também não é diferente. E, muitas vezes acaba gerando conflito e desconforto de ambos os lados.

Para Andréa Leão, psicóloga em São José dos Campos, as redes sociais trazem uma sensação de liberdade para as pessoas. "O uso de redes sociais e aplicativos tem aumentado porque agora nós estamos com a mobilidade física mais restrita. Devido a isso, a gente recorre a meios que nos dão umas sensação de liberdade", disse.

"Em relação a casais, especificamente, é importante ser combinado. Toda pessoa tem o direito à individualidade dela, isso é importante preservar. Por outro lado, ela também tem um contrato que não é meramente social, mas também emocional com a pessoa com que ela se relaciona, seja namorado, marido, enfim", enfatiza.

"Quando a pessoa usa de forma excessiva e de maneira que parece escondido do outro, inaugura dúvidas no parceiro quanto ao relacionamento. Isso pode ser nocivo".

Segundo ela, uma eventual traição pode acontecer, mas isso vale também fora das redes sociais. "Pode gerar infidelidade? Pode, como também pode quando eu saio para tomar café com amigas, por exemplo", disse.

"Infidelidade tem N fatores, um deles é não estar em um bom momento da relação, se sentir psicologicamente vulnerável e então o uso das redes sociais pode ser um gatilho para isso", disse.

A psicóloga clínica Cris Borges, especialista em Medicina Sexual, também concorda com a colega. Segundo ela, a rede virtual, assim como a real (bar, academia), só gera ciúme e desconforto em um casal que já está passando por algum problema relacional. "Um casal que está tranquilo, que tem uma relação afetiva estável, não sente ciúme. O ciúme vem, normalmente, quando está com algum problema de auto estima ou que a relação não está sendo satisfatória. Você não está se vendo muito no olhar do outro, então, não é a rede social que causa o problema, mas o problema é interior no relacionamento", afirmou.

Aplicativo pode ser boa diversão, mas também é preciso agir com equilíbrio

O aplicativo de celular 'Tik Tok', no qual é possível gravar vídeos, fazer edições de imagens e mudar a aparência, tem se tornado cada vez mais comum. Para a psicóloga Andréa Leão, pode ser divertido, mas também precisa de controle. "É uma ferramenta divertida e aí a gente pode se sentir um pouco artista usando ela. Isso é legal. Mas volto a dizer: quanto tempo a gente fica nisso? Estamos ficando indisponíveis para as pessoas porque isso está tomando muito o nosso tempo? É importante dosar e estar atento às pessoas ao nosso entorno. Nosso contato com o outro já está tão restrito, já estamos tão impossibilitados da presença física do outro, então precisamos ter esse cuidado com as pessoas a nossa volta", disse. Para a psicóloga clínica Cris Borges, o equilíbrio é fundamental. "O aplicativo tok tok é um entretenimento e a dica que eu dou para que as pessoas utilizem qualquer coisa de entretenimento é ter o equilíbrio. A rede social é muito mais uma idealização do que a pessoa quer passar", disse. "Tem duas palavras que eu gosto de utilizar na quarentena e que está fazendo as pessoas terem sucesso na saúde mental e física: criatividade equilíbrio".

Assinar OVALE é

construir um Vale melhor


OVALE nunca foi tão lido. São mais de 23 milhões de acessos por mês apenas nas plataformas digitais, além da publicação de quatro edições impressas por dia. O importante é que tudo isso vem sempre com o DNA editorial de quem é líder em todas as plataformas, praticando um jornalismo profissional, independente, crítico, plural, moderno e apartidário. Informação com credibilidade, imprescindível para a construção de uma sociedade mais livre e mais justa, em um tempo em que a democracia é posta em risco por uma avalanche de fake news. Aqui a melhor notícia é a verdade. E nós assinamos embaixo. Assine OVALE e ajude-nos a ampliar ainda mais a melhor cobertura jornalística da região.